Sumário Econômico 1516

Varejo ampliado consolida recuperação e tem o melhor novembro em 15 anos - Alta de 2,5% em relação ao mês anterior foi puxada pelos segmentos mais impactados pela Black Friday. A CNC projeta alta de 5,1% para o volume de vendas em 2018. De acordo com a Pesquisa Mensal de Comércio (PMC) divulgada em 09/01 pelo IBGE, em novembro, o volume de vendas nos dez segmentos que integram o comércio varejista no conceito ampliado avançou 2,5% em relação ao mês anterior, já descontados os efeitos sazonais. Esse foi o melhor resultado nesse tipo de comparação desde que o IBGE passou a divulgar os dados do varejo no conceito ampliado em 2003.

 

Mudanças tributárias na lista do brasileiro em 2018 - O modelo tributário brasileiro é excessivamente complexo, desorganizado e caótico, além de bastante peculiar na comparação internacional. No Brasil, predomina o desinteresse sobre como o ônus do tributo alcança a sociedade. A preocupação com a equidade do sistema tributário brasileiro infelizmente é limitada. Todas as três afirmativas representam a forma insana que o Brasil escolheu para extrair da sociedade 1/3 da riqueza por ela gerada. As pessoas não suportam mais pagar quase R$ 2 trilhões médios/ano em mais de 90 impostos, taxas e contribuições, principalmente da forma como são calculados, arrecadados e distribuídos.

 

Produção industrial tem crescimento mensal pela terceira vez - Segundo os últimos dados disponibilizados pelo IBGE, a produção industrial teve aumento de 0,2% em novembro de 2017, o terceiro crescimento consecutivo, de 0,3% em outubro e setembro, em comparação com o mês imediatamente anterior nos dados com ajuste sazonal. Além desse resultado, a indústria extrativa mostrou avanço de 0,2%, também o terceiro resultado positivo seguido, enquanto a de transformação recuou 0,1%, após crescer 0,5% em outubro e 0,4% em setembro. Dentre as categorias de uso analisadas, a de bens intermediários (+1,4%) foi o maior destaque positivo e bens de consumo (-0,7%), o negativo. Bens de consumo duráveis mostraram aceleração de 2,5%, enquanto bens de consumo semi e não duráveis recuaram 1,6%.

 

Reciclagem de lata de alumínio - Pelo 12º ano consecutivo, o Brasil reciclou 280 mil toneladas de latas de alumínio para bebidas em 2016, reaproveitando 97,7% do volume comercializado. O novo índice de reciclagem da latinha, anunciado em outubro de 2017 pela Abralatas e Associação Brasileira do Alumínio (Abal), é apenas 0,2 ponto percentual menor do que o número registrado em 2015, o que confirma a estabilidade do modelo adotado pela indústria. O processo de reciclagem de latas de alumínio envolve diversos benefícios, tais como: uma renda mínima para famílias de baixa renda; criação de novos empregos em empresas de recicladoras; e preservação do meio ambiente, pois com o reaproveitamento das latas de alumínio deixa-se de gastar os recursos naturais que dão origem à lata de alumínio.

Download

Comments

0

Os comentários serão moderados, portanto evite o uso de palavras chulas, termos ofensivos ou comunicação vulgar. Se tiver alguma dúvida sobre o tema abordado aqui, use a nossa Área de Atendimento. Talvez a resposta já esteja lá.

Post new comment

The content of this field is kept private and will not be shown publicly.