CNC 75 Anos pelo Brasil – criação da CNC, Sesc e Senac

AddToAny buttons

Compartilhe
28 A 29 dez 20
Ex: 8h00 às 18h00
Botão - Tenho Interesse
Esse preenchimento não garante sua
inscrição. É apenas para fins de comunicação,
envio de novidades e informações sobre o
evento.
Acompanhe a história da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) na série de matérias especiais
Acompanhe a história da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) na série de matérias especiais

Em 30 novembro de 2020, a Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) completou 75 anos e celebrou a data para reafirmando o compromisso histórico com a justiça social, a democracia, a defesa da livre-iniciativa e a proteção e o fortalecimento das empresas representadas.

Para homenagear os empresários do comércio, que decidiram fundar a CNC e criar e manter o Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac) e o Serviço Social do Comércio (Sesc), a Confederação resolveu contar essa história. Para isso, lançou uma campanha comemorativa no mês de aniversário (rádio, TV, jornais e redes sociais), além do livro CNC – 75 anos, que conta em detalhes o surgimento, a consolidação e as transformações da Confederação, e o hotsite da campanha (75anos.cnc.org.br), onde a publicação estará disponível em versão digital. E prepara ainda, para 2021, o lançamento do Memorial do Comércio – uma exposição permanente sobre o terceiro setor, que terá também uma versão digital.

“O livro CNC – 75 anos é um resumo da já longa trajetória que estamos percorrendo. Nele, estão os resultados do trabalho de gerações de líderes e profissionais que ajudaram a escrever cada página dessa história com dedicação, talento e uma visão de Brasil grande, com um setor terciário forte e próspero”, afirma o presidente da CNC, José Roberto Tadros. (Confira aqui a Live comemorativa dos 75 anos da CNC com o presidente Tadros)

Embarque nessa histórica, e acompanhe nas matérias especiais da série CNC 75 Anos pelo Brasil para conhecer e relembrar fatos e nomes que fizeram e fazem parte da CNC e da trajetória de crescimento do comércio e dos serviços no Brasil.

Em busca da paz social

O ano é 1945, o mundo acabava de sair da Segunda Guerra Mundial, iniciada em 1939. Vários países precisavam se reconstruir, e, no Brasil, o ano marcava o reencontro com a democracia, após a ditadura do Estado Novo, que se estendia desde 1937. Lideranças empresariais, percebendo a necessidade de fortalecer a democracia e cooperar para o desenvolvimento econômico e social, realizam a 1ª Conferência Nacional das Classes Produtoras (Conclap), no mês de maio, em Teresópolis, no Rio de Janeiro. Na Conclap, é elaborada a “Carta Econômica de Teresópolis”, documento que analisa a realidade socioeconômica do País e propõe um compromisso dos empresários com a “justiça social”. Também foi escrita a “Carta da Paz Social”, em que empregadores demonstravam preocupação com a pobreza e a baixa profissionalização do trabalhador brasileiro.

Na Conferência, surge um consenso, o de que era necessário criar um órgão que fosse o porta-voz oficial do comércio perante o governo e a sociedade.

Lideranças empresariais assinam a Carta da Paz Social
Lideranças empresariais assinam a Carta da Paz Social

Nasce a CNC

Em 4 de setembro, líderes de oito federações do comércio se reúnem para constituir a Confederação Nacional do Comércio. Os princípios da Carta Econômica de Teresópolis foram incorporados ao estatuto da CNC. Em 30 de novembro, de 1945, a CNC foi reconhecida pela Presidência da República como a entidade máxima do empresariado comercial brasileiro, data em que comemora seu aniversário.

Sesc e Senac são criados

Em 10 de janeiro, de 1946, toma posse a primeira Diretoria da CNC. É formalizada a Carta da Paz Social e criado o Senac, para profissionalização de trabalhadores do comércio. Em setembro, é ratificada a criação do Sesc, focado em promover a qualidade de vida dos trabalhadores, oferecendo serviços de educação, saúde, cultura, lazer, turismo e assistência social. Hoje, Sesc e Senac estão presentes em todos os estados da Federação e em mais de dois mil municípios, sendo as instituições com maior capilaridade no território nacional.

A Carta da Paz Social “se relaciona não apenas à criação dos serviços sociais, mas também ao caráter protagonista daquele grupo de Teresópolis para o início de uma nova consciência empresarial, que se fortaleceu e vem se prolongando até os dias atuais”, afirma o presidente de Honra da CNC, Antonio Oliveira Santos, na reedição do documento.

Esse foi o início de tudo. Mas entre a criação da CNC, do Sesc e do Senac, e o Sistema Comércio tal como ele é hoje - presente em todos os estados, por meio das Federações do Comércio (Fecomércios) e regionais do Sesc e Senac e em mais de 2 mil municípios brasileiros – muito trabalho, e realizações aconteceram. Acompanhe essa história nas matérias da série CNC 75 Anos pelo Brasil.

Afinal, nada melhor do que conhecer a história para planejar o futuro.