CNC 75 Anos pelo Brasil – novos tempos, novas ferramentas e os mesmos valores

AddToAny buttons

Compartilhe
30 A 31 dez 20
Ex: 8h00 às 18h00
Botão - Tenho Interesse
Esse preenchimento não garante sua
inscrição. É apenas para fins de comunicação,
envio de novidades e informações sobre o
evento.
Acompanhe a história da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) na terceira e última matéria da série CNC 75 Anos pelo Brasil
Acompanhe a história da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) na terceira e última matéria da série CNC 75 Anos pelo Brasil

Ao completar 75 anos, a Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) coordena um sistema que conta com 34 federações, mil sindicatos e representa 4,5 milhões de empresas do comércio e de serviços (incluindo turismo) que correspondem a 23,4% do Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro (10,5%, serviços; e 12,9%, comércio) e são responsáveis por 22,2 milhões de empregos gerados no País (8,5 milhões nos serviços; e 13,7 milhões no comércio).

Desde que assumiu a Presidência da CNC, José Roberto Tadros vem aproximando a Confederação, ainda mais, das lideranças do cenário político institucional brasileiro. Já no primeiro ano de mandato, em 2019, protagonizou uma extensa agenda em defesa do Sistema Comércio, com um amplo e permanente diálogo com o poder público, em reuniões com o Legislativo e o Executivo, incluindo o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia; o presidente do Senado Federal, Davi Alcolumbre; o presidente da República, Jair Bolsonaro; o vice-presidente, Hamilton Mourão; e ministros de Estado; além de deputados e senadores. Tadros cumprimenta Bolsonaro, ao lado do vicepresidente Valdeci Cavalcanti, em inauguração no Piauí. Abaixo, Tadros com o presidente do Senado, Davi Alcolumbre.

O presidente do Senado Federal, Davi Alcolumbre, reconhece a representatividade da CNC como porta-voz de milhões de empresas brasileiras e parabeniza o trabalho da Confederação por um Brasil mais justo e com mais possibilidades para todos. “A CNC advoga pela robustez do setor terciário da economia brasileira, e, por isso mesmo, tem um papel preponderante na elaboração de leis que permitam a geração de emprego e renda. Por essas razões, a CNC é uma entidade que merece todo o apoio e reconhecimento do Congresso Nacional. Abrigando Sesc e Senac, a Confederação também é o principal agente de formação profissional dos trabalhadores de uma categoria que responde por 1/4 do PIB brasileiro”, afirma o senador.

Tadros com o presidente do Senado, Davi Alcolumbre.
Tadros com o presidente do Senado Federal, Davi Alcolumbre

Ainda em 2019, o trabalho do Sistema Comércio foi visto pelo presidente da República, Jair Bolsonaro, durante a inauguração de uma escola do Sesc no município de Parnaíba, no Piauí. O presidente Tadros e o anfitrião do evento, o presidente do Sistema Fecomércio-Sesc-Senac do Piauí e 1º vice-presidente da CNC, Valdeci Cavalcanti, recepcionaram Bolsonaro. Em discurso para a imprensa, Bolsonaro parabenizou a iniciativa: “Desta forma, ajudaremos a mudar o futuro do Brasil. Porque só mudando a nova geração com boas escolas e com boas instruções é que podemos mudar o Brasil. Parabéns, Sistema S.”

Tadros cumprimenta Bolsonaro, ao lado do vicepresidente Valdeci Cavalcanti, em inauguração no Piauí.
Tadros cumprimenta Bolsonaro, ao lado do vice-presidente da CNC, Valdeci Cavalcanti, em inauguração no Piauí

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, também parabeniza a CNC pelos anos de liderança no setor e pelo trabalho em prol das empresas do comércio de bens, serviços e turismo. “Em um país tão desigual como o nosso, a Confederação vem buscando assegurar às empresas do setor condições para alcançar resultados positivos e ampliar a geração de empregos. A Câmara vê na CNC, especialmente na figura de seus líderes, como o presidente José Roberto Trados, um relevante interlocutor na elaboração de propostas que desenvolvem o comércio, a nossa economia e a sociedade como um todo”, disse Maia.

Trabalho que Valoriza o Brasil

Com o objetivo de valorizar o Sistema do Comércio e contribuir para as decisões do País que afetam o setor, a CNC lançou, em 2019, a campanha Trabalho que Valoriza o Brasil. A iniciativa resultou na adesão de mais de 1,5 milhão de pessoas ao abaixo-assinado pelo fortalecimento do Sistema Comércio e deu maior visibilidade às ações da CNC, das federações, do Sesc e do Senac em todo o País. No mesmo ano, a CNC sediou a 2ª Conferência de Comércio Internacional e Serviços do Mercosul (CI19), aproveitando que o Brasil estava na Presidência temporária do Conselho de Câmaras de Comércio do Mercosul. O evento foi parte do trabalho de aproximar e fomentar os negócios entre o Brasil e os países do Mercosul e da União Europeia.

2020: um ano de união

Em 2020, a pandemia causada pelo novo coronavírus impactou a vida das pessoas e das empresas. A CNC conduziu uma aliança a favor do Brasil, com federações, sindicatos, Sesc e Senac, e empresas em ações para mitigar os impactos da pandemia, buscando proteger empresas, empregos e pessoas, e incentivar a retomada segura e responsável do comércio e dos serviços.

Foram apresentadas propostas trabalhistas, tributárias, administrativas e de incentivo financeiro ao governo federal e ao Congresso Nacional para mitigar o impacto da pandemia nas empresas e evitar ao máximo as demissões. A capilaridade do Sistema Comércio apoiou ações de combate à pandemia nos estados e municípios, implementou ações de solidariedade e de educação, e capacitação gratuitas e a distância (saiba mais em www.afavordobrasil.cnc.org.br).

Entre as ações de solidariedade do Sistema CNC-Sesc-Senac, destaque para o programa Mesa Brasil Sesc, que ampliou as parcerias com artistas, empresas, instituições e ONGs para aumentar seu volume e poder de penetração. Foram beneficiadas 3,98 milhões de famílias ao mês; mais de 500 municípios atendidos; 28.234.635 quilos de alimentos distribuídos; e 1.375.326 quilos de itens de limpeza, higiene e vestuários, entre outros.

A presidente do Conselho de Administração do Magazine Luzia, empresária Luiza Helena Trajano, que assumiu a Vice-Presidência da CNCC da CNC em 2020, afirma que o varejo, por ser o maior empregador privado do País, é motivo de orgulho e, acima de tudo, de grande responsabilidade, pois deve seguir contribuindo com o crescimento do Brasil. Luiza defende que “é necessário ampliar ainda mais os serviços administrados pela CNC, o Sesc e o Senac, que levam educação profissional, lazer e cultura para uma importante parcela da população que não teria acesso a esses serviços.”

Impulso para a transformação digital

A pandemia trouxe um consenso para as empresas e para o mundo: o de que a transformação digital é um caminho sem volta e que ela foi acelerada com as limitações de contato presencial impostas pelo isolamento social. O comércio foi profundamente impactado e precisou se adaptar às pressas. A CNC está integrada a esse processo e criou um programa de inovação tecnológica voltado às empresas do comércio de bens, serviços e turismo, o CNC Transforma.

O ministro do Desenvolvimento regional, Rogério Marinho, acredita que a CNC tem o papel fundamental ao integrar, apoiar, e organizar os setores de comércio, serviços e turismo, e é determinante para o enfrentamento e a superação de crises. “No atual cenário, de pandemia em decorrência da Covid-19, renova-se o papel da Confederação como agente catalisador e indutor de respostas para que o País possa superar os impactos econômicos e retomar o caminho do crescimento. São setores que estão se reinventando com criatividade, segurança e inovação tecnológica para garantir a prestação dos serviços e a manutenção de empregos.”

“Estamos avançando na consolidação desse programa em todo o Sistema Comércio, estabelecendo uma cultura de inovação de forma a estender às empresas do setor ferramentas e conceitos que contribuam para uma gestão mais ágil, eficiente e competitiva, ajudando-as a enfrentar os desafios do mercado”, afirma Tadros sobre o CNC Transforma.