Fórum de superintendentes alinha temas estratégicos do Sistema Comércio

AddToAny buttons

Compartilhe
28 A 29 ago 20
Ex: 8h00 às 18h00
Botão - Tenho Interesse
Esse preenchimento não garante sua
inscrição. É apenas para fins de comunicação,
envio de novidades e informações sobre o
evento.
Evento foi realizado de forma híbrida, com as apresentações feitas direto da sede da CNC, com participantes on-line de todos os estados
Evento foi realizado de forma híbrida, com as apresentações feitas direto da sede da CNC, com participantes on-line de todos os estados
Crédito
CNC

Para discutir pautas estratégicas do Sistema Comércio comuns às federações, principalmente no contexto da crise da pandemia da Covid-19, a Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) promoveu, no dia 31 de julho, o 1º Fórum Nacional de Superintendentes de Federações do Comércio de Bens, Serviços e Turismo.

O debate reuniu mais de 100 participantes de todo o País e aconteceu por videoconferência, sendo as apresentações dos temas realizadas, na sede da CNC no Rio de Janeiro, pelos gestores das divisões Econômica, Jurídica, Relações Institucionais e Sindical, além da Gerência Executiva de Comunicação (Gecom).

Um vídeo do presidente da CNC, José Roberto Tadros, marcou a abertura com uma mensagem de otimismo e superação. “É importante que estejam todos os superintendentes pensando na melhoria das condições do nosso sistema. Estamos completando 75 anos de existência e nestes últimos tempos muita coisa mudou. Tudo nos sugere que a cada dia que passa as coisas irão mudar ainda mais e nós precisamos fazer uma retroalimentação para vislumbrar novos caminhos. Conto com todos vocês e espero que façamos uma instituição cada vez mais forte, voltada ao bem comum e ao desenvolvimento do Brasil”, afirmou.

A secretária-geral da Confederação, Simone Guimarães, lembrou o cenário de desafios que a crise vem impondo às entidades, ao comércio e ao País de forma geral. “Este foi o primeiro fórum de superintendentes que realizamos em nível nacional. Tivemos a oportunidade de expor conhecimentos do dia a dia dentro da entidade, debater situações que estão acontecendo diante da pandemia e que ações nós devemos tomar para contribuir e ajudar os empresários do sistema”, destacou.

Dividido em três blocos, o evento apontou, por meio de temas escolhidos pelos próprios superintendentes, como cada área da CNC vem atuando neste período, com informações e orientações atualizadas junto às federações. Na primeira etapa, a chefe da Divisão de Relações Institucionais (DRI), Nara de Deus, apresentou as ações junto aos Poderes Legislativo e Executivo, destacando o encaminhamento de sugestões, para contribuir com as medidas provisórias de apoio aos empresários, tendo acolhimento do governo de 84,6% das propostas apresentadas pela CNC. De março a julho, foram 370 posicionamentos prévios e 328 notas técnicas.

No mesmo bloco, a chefe da Divisão Sindical (DS), Patricia Duque, falou sobre como orientar os sindicatos para a atuação pós-pandemia, enfatizando o maior Fórum de superintendentes alinha temas estratégicos do Sistema Comércio diálogo com empresários e trabalhadores, a realização de negociações coletivas mais ricas tecnicamente, o aperfeiçoamento das práticas gerenciais, além de ofertas de soluções conectadas com as demandas atuais como alguns exemplos de ações que as entidades devem realizar neste período pós-pandemia para ajudar a retomada das empresas representadas.

O cenário econômico
 
A visão da Receita Federal do Brasil foi o tema apresentado pelo chefe da Divisão Jurídica (DJ), Alain Mac Gregor, que abordou os cuidados nas prestações de serviços realizadas pelas entidades no aspecto da isenção tributária e nas questões relacionadas aos serviços de certificação digital. Nesse segundo bloco de apresentações, o economista da Divisão Econômica (DE) Fabio Bentes fez uma análise da recuperação das atividades e das expectativas dos agentes econômicos, trazendo as últimas pesquisas sobre as perdas no setor terciário.

O trabalho de comunicação integrada da CNC no cenário de transformações globais, foi contextualizado, no terceiro bloco, pelo chefe da Gecom da CNC, Elienai Câmara, com foco no fortalecimento da imagem institucional do Sistema Comércio. Elienai apresentou um panorama sobre os núcleos da Gecom, destacando os números da entidade na mídia e nas redes sociais.

Na sequência, anunciou o projeto CNC Transforma, que foi apresentado pelo sócio da empresa eMotion, Rodolfo Zhouri, numa parceira da Confederação nessa frente baseada na inovação e tecnologia, apresentando soluções inovadoras com ferramentas modernas, que fortalecem as entidades e empresas do comércio. 

Participação

Entre os mais de 100 participantes no fórum, o superintendente da Fecomércio-AC, Deywerson Galvão, ressaltou a importância do evento. “Parabéns à CNC. Com linguagem simples e direta, todo o conteúdo apresentado servirá de fonte para ações de apoio e esclarecimento aos sindicatos e empresários locais. Enriquecedor”, disse.

Para o superintendente da Fecomércio-PR, Eduardo Gabardo, as apresentações foram elucidativas. “Quero deixar registrada a importância das representações neste processo, sejam elas nacionais, sejam elas estaduais, sejam elas municipais.”

A opinião foi partilhada pelo chefe do Departamento Jurídico da Fecomércio-ES, José William de Freitas Coutinho. “A palavra-chave dos sindicatos patronais é a representatividade, pois sem ela os sindicatos não podem atuar de forma efetiva”, afirmou.

A chefe de Gabinete da Fecomércio-PE, Cleide Pimentel, destacou a necessidade de alinhamento das entidades do Sistema. “Caminhar junto à CNC em uma área tão estratégica como a Comunicação é importantíssimo para o fortalecimento da imagem das entidades do Sistema Comércio”, disse.