Fórum debate o futuro da Região Amazônica

AddToAny buttons

Compartilhe
04 A 05 nov 20
Ex: 8h00 às 18h00
Botão - Tenho Interesse
Esse preenchimento não garante sua
inscrição. É apenas para fins de comunicação,
envio de novidades e informações sobre o
evento.
Abertura do Amazônia 21+ destacou os desafios para crescimento da região
Abertura do Amazônia 21+ destacou os desafios para crescimento da região
Crédito
CNC


A Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) é uma das apoiadoras do Fórum Amazônia+21, iniciativa do Município de Porto Velho, Rondônia, por meio de sua Agência de Desenvolvimento, da Federação das Indústrias do Estado de Rondônia e com correalização da Confederação Nacional da Indústria (CNI). 

Promovido por videoconferência, de 4 a 6 de novembro, o Amazônia+21 é um fórum internacional permanente de diálogos que busca conectar governos, empreendedores, cientistas, pesquisadores, setor produtivo, investidores e a sociedade, em busca de soluções para o desenvolvimento socioeconômico da região.

O desenvolvimento sustentável da Amazônia é um dos grandes desafios do País, na avaliação do presidente da CNC, José Roberto Tadros, que tem defendido a necessidade de manutenção, na reforma tributária, dos estímulos ao desenvolvimento regional, como é o caso da Zona Franca de Manaus e das Áreas de Livre Comércio (ALCs). 

“A Zona Franca de Manaus teve, nas últimas cinco décadas, papel geopolítico fundamental de desconcentração de investimentos e geração de renda, pública e privada”, avalia o presidente da CNC. “Além da melhoria da qualidade de vida da população, também contribuiu para a preservação da floresta e a redução das desigualdades regionais”, completa Tadros.

A criação de um grupo para propor políticas e modelos de negócios inovadores visando ao crescimento da região foi comentada pelo presidente da CNI, Robson Braga de Andrade, durante a abertura, que contou ainda com a participação do presidente da Federação das Indústrias de Rondônia (FIERO) e da Agência de Desenvolvimento de Porto Velho, Marcelo Thomé.

“O encontro nasce da necessidade de fazer algo novo, diferente; de trazer uma nova abordagem ao desenvolvimento de uma região continental, que envolve nove estados e que seria o sexto maior país do mundo em dimensão territorial”, destacou Thomé.

Participaram ainda da abertura o secretário da Amazônia e Serviços Ambientais do Ministério do Meio Ambiente, Joaquim Álvaro Pereira Leite, que representou o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles; o presidente do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), Carlos Melles; e o governador de Rondônia, Coronel Marcos José Rocha dos Santos.