Presidentes da Câmara e do Senado recebem manifesto da CNC em apoio à MP da Liberdade Econômica

AddToAny buttons

Compartilhe
13 A 14 ago 19
Ex: 8h00 às 18h00
Botão - Tenho Interesse
Esse preenchimento não garante sua
inscrição. É apenas para fins de comunicação,
envio de novidades e informações sobre o
evento.
Luiz Carlos Bohn esteve com presidente Rodrigo Maia e deputado Jerônimo Goergen, relator da MP
Luiz Carlos Bohn esteve com presidente Rodrigo Maia e deputado Jerônimo Goergen, relator da MP
Crédito
Divulgação/Fecomércio-RS

13/08/2019

O vice-presidente da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), Luiz Carlos Bohn, esteve terça-feira (13) no Congresso Nacional reafirmando o apoio à Medida Provisória 881/2019, que trata de mudanças no ambiente de negócios no Brasil, reduzindo a burocracia e facilitando a abertura de empreendimentos. Em nome do presidente José Roberto Tadros, Bohn entregou ao presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ) e ao presidente do Senado Federal, Davi Alcolumbre (DEM-AP), um manifesto em favor da MP.

“Essa medida propicia e estimula o empreendedorismo no Brasil, pois desburocratiza e incentiva o exercício das atividades econômicas, criando um ambiente favorável para o crescimento do País.  O Estado consagrar os princípios constitucionais da dignidade da pessoa humana, dos valores sociais do trabalho, e da livre iniciativa, buscando, não só o desenvolvimento econômico-financeiro nacional, mas, principalmente, o desenvolvimento social, oportunizando ao cidadão comum a livrar-se da crise financeira por meio do exercício de atividade econômica formal, criando para tanto, normas flexíveis e de fácil cumprimento. Assim, é de extrema importância que a MP seja submetida à aprovação do Congresso Nacional, para que possamos efetivar, de forma definitiva, em nosso ordenamento jurídico, as mudanças ali propostas, que trarão segurança e estímulo para os empreendedores brasileiros”, defende o manifesto.

Segundo o vice-presidente, a CNC exerceu protagonismo neste dia, sensibilizando lideranças de diversos partidos e estados, quanto a necessidade de se criar um ambiente mais atrativo e com maior segurança jurídica para as empresas. E destacou: “Se queremos dar ao Brasil liberdade para empreender, começa com esta medida provisória”.