Soluções criativas, como as plataformas digitais, dão suporte aos empresários cearenses

AddToAny buttons

Compartilhe
26 A 27 mai 20
Ex: 8h00 às 18h00
Botão - Tenho Interesse
Esse preenchimento não garante sua
inscrição. É apenas para fins de comunicação,
envio de novidades e informações sobre o
evento.
Crédito
Fábio Louzada

Diante do cenário de incertezas gerado pela pandemia do novo coronavírus, os governos federal, estaduais e municipais adotaram medidas de emergência que alteraram a rotina de consumidores e empresários, muitos com operações suspensas ou atuando apenas em plataformas digitais. 

Porém, tanto a Federação do Comércio do Ceará (Fecomércio-CE) quanto o Sesc e o Senac continuam trabalhando a distância para atender às demandas dos empresários, dos trabalhadores do comércio e da sociedade em geral. A Federação tem divulgado em suas redes sociais orientações técnicas, estudos econômicos, aulas on-line, atendimento emergencial e outros conteúdos e ações durante o período de isolamento social.

Para falar sobre a atual situação do Estado cearense e medidas de enfrentamento da crise, o presidente da Fecomércio-CE, Maurício Filizola, participou de live promovida pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), em 25/05. A live faz parte de uma série de transmissões ao vivo, realizada no Instagram da Confederação, com entrevistas que tratam de questões pertinentes à área de comércio de bens e serviços.

Durante a entrevista, Filizola falou de ações da Fecomércio-CE para combater a crise do novo coronavírus, entre elas a participação no Comitê Estadual de Enfrentamento. “É um grupo importante para o Estado, que trabalha com instituições dos âmbitos executivo, legislativo e judiciário para buscar soluções em saúde e economia. A Fecomércio-CE está representando o empresariado, levando ao governo os anseios do setor para que o comércio inicie sua retomada o quanto antes”, disse o presidente.

Combate à crise econômica

Para reduzir o impacto econômico nos micro e pequenos negócios, a Fecomércio-CE desenvolveu plataformas digitais para dar suporte e auxiliar os empresários do Estado, como o Fecomércio Bank, banco digital da Federação, que vai atender tanto clientes pessoas físicas quanto empresas, e a plataforma de marketing place Tá Fácil Comprar, uma loja virtual em que o empresário cadastra e vende seus produtos e serviços.

“O Fecomércio Bank oferece serviços de controle da folha de pagamento, linhas de crédito especiais para o empresário, compras de passagens aéreas, auxílio em controle financeiro e até mesmo opções voltadas para a diversão da família, como créditos em serviços de streaming. Já a plataforma Tá Fácil Comprar é uma opção para o empresário divulgar produtos e serviços através da Federação e criar ofertas especiais”, explicou Filizola.

Entre tantas medidas emergenciais, a Fecomércio-CE criou também um e-book, disponível no site da Federação, com o objetivo de combater a desinformação. O material didático esclarece dúvidas sobre questões cíveis e empresariais, questões trabalhistas e tributárias, dicas para a sustentabilidade dos negócios, além de reunir decretos estaduais e municipais aprovados nas últimas semanas.

Atuação do Sesc e do Senac no Estado

Durante a transmissão, Maurício Filizola deu destaque ao trabalho social realizado pelo programa Mesa Brasil, do Sesc, e ao Sintonia do Bem, uma iniciativa que promove lives de artistas a fim de arrecadar doações para o Mesa Brasil. Ao todo foram doadas 600 cestas básicas, 1,5 tonelada de alimentos e 12 mil ovos em duas apresentações. “O Mesa Brasil é um projeto nacional que nos orgulha muito e atua no Ceará há 18 anos, com quase 200 empresas contribuindo atualmente”, disse.

Filizola também ressaltou o trabalho desenvolvido pelos braços sociais do Sistema Comércio, o Sesc e o Senac, no período de pandemia. Segundo ele, o Senac Ceará retomou os cursos por meio de aulas on-line desde o dia 6 de maio, mantendo em atividade cerca de 2.300 alunos em cursos de qualificação, aperfeiçoamento, técnicos e de aprendizagem. Já o Sesc, que retomou suas atividades em ambiente virtual desde o dia 11 de maio, continua atendendo quase 7 mil alunos da educação infantil, ensino fundamental, EJA e pré-vestibular.

Pesquisas IPDC

Outro braço da Fecomércio-CE que continuou em atividade foi o Instituto de Pesquisa e Desenvolvimento do Ceará (IPDC). Ao longo dos últimos dois meses, a instituição produziu estudos direcionados aos empresários do comércio para levantar os principais impactos da pandemia no comércio cearense. Além de produzir duas pesquisas que demonstraram a percepção dos consumidores e usuários do Sesc e do Senac durante o período de pandemia, o IPDC deu continuidade ao cronograma das pesquisas realizadas já mensalmente.

“As pesquisas do IPDC são fundamentais para nortear o nosso trabalho, pois são estudos que nos auxiliam na busca de alternativas para sair desta crise da maneira mais rápida possível”, finalizou.