Exportações já apresentam queda na segunda semana de março

AddToAny buttons

Compartilhe
23 A 24 mar 20
Ex: 8h00 às 18h00
Botão - Tenho Interesse
Esse preenchimento não garante sua
inscrição. É apenas para fins de comunicação,
envio de novidades e informações sobre o
evento.
Fecomércio-SP orienta empresários a exigir garantias bancárias para o envio dos produtos ao exterior, visando evitar prejuízos
Fecomércio-SP orienta empresários a exigir garantias bancárias para o envio dos produtos ao exterior, visando evitar prejuízos
Crédito
Ilustração

23/03/2020

A Fecomércio-SP tem acompanhado os impactos da pandemia do coronavírus (Covid-19) em diversas áreas da sociedade. Dessa forma, o Conselho de Relações Internacionais da entidade ouviu os associados e empresários do setor para entender como a operação de comércio exterior tem sido afetada. Algumas empresas já adiaram o envio de cargas para a China e outras estão renegociando contratos de importação em decorrência da valorização do dólar.
 
Os dados divulgados pelo Ministério da Economia revelam uma queda de 20% na média das exportações diárias, na segunda semana de março, em relação à semana anterior (de US$ 962 milhões para US$ 770 milhões), motivadas pelo recuo nas exportações dos três grupos de produtos: semimanufaturados (-33,9%), básicos (-21,5%) e manufaturados (-11,6%). Nessa mesma base de comparação, as importações recuaram 7,6%.
 
Na atual conjuntura, a assessoria Econômica da Fecomércio-SP explica que o dólar alto não beneficia totalmente as exportações, pois, excetuando-se as commodities que têm os preços estabelecidos no mercado internacional, as instabilidades no mercado de câmbio dificultam as negociações, já que os compradores, cientes da desvalorização da moeda e dos ganhos do exportador, pedem desconto. Além disso, produtos manufaturados têm parte dos componentes importados, e a alta do dólar é repassada ao preço final do produto.
 
A Fecomércio-SP enfatiza que o momento é de muita cautela e de acompanhar como os mercados brasileiro e internacional se comportam durante a crise. Os empresários devem evitar assumir novas dívidas ou compromissos e focar a administração de recursos e a renegociação com fornecedores. Além disso, em razão dos abalos nos caixas das empresas ao redor do mundo, é fundamental que os exportadores estejam atentos e exijam garantias bancárias para o envio dos produtos, a fim de evitar prejuízos futuros pelo não pagamento.