Sumário Econômico - 1592

AddToAny buttons

Compartilhe
04 A 05 out 19
Ex: 8h00 às 18h00
Botão - Tenho Interesse
Esse preenchimento não garante sua
inscrição. É apenas para fins de comunicação,
envio de novidades e informações sobre o
evento.
Crédito
GECOM/PV

Confiança do comércio volta a crescer com alta de +1,3% - O Índice de Confiança do Empresário do Comércio (Icec), apurado pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), alcançou o patamar de 119,1 pontos em setembro, o maior desde maio de 2019, quando foi de 122,4 pontos. Esse resultado representou uma alta mensal de +1,3%, a primeira após quatro meses consecutivos de queda. Também foi o maior aumento desde março deste ano, quando a taxa foi de +1,5%. Em relação a setembro do ano passado, houve um crescimento de +12,3%, o maior avanço desde março de 2018 (+14,6%). Em setembro, a satisfação quanto às condições correntes, o Índice de Condições Atuais do Empresário do Comércio (Icaec), foi o maior foco positivo do indicador, mesmo permanecendo o subíndice mais baixo (94,1 pontos) e o único abaixo de 100 pontos. Isso porque correspondeu à maior variação positiva mensal, +1,8%, e foi a primeira alta após quatro retrações subsequentes. Além disso, também atingiu o maior nível desde maio de 2019, quando registrou 100,6 pontos. Houve avanço de +23,7% diante de setembro de 2018, explicitando uma melhora na percepção das condições atuais em relação ao ano passado.

Pesquisa do faturamento do turismo: Julho/19 - Pesquisa inédita da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) constatou que as empresas produtoras de serviços turísticos vêm se recuperando a taxas compatíveis com o ritmo da economia. Assim sendo, em julho deste ano, o setor faturou R$ 20,478 bilhões, 9,0% a mais sobre junho e 1,5% acima de julho de 2018. Para a pesquisa sobre o comportamento das vendas do turismo nacional, a CNC elaborou o ICV-Tur (Índice Cielo de Vendas do Turismo da CNC), tendo como parâmetros a Pesquisa Anual de Serviços (PAS), o Índice de Atividades Turísticas (Iatur) e a Pesquisa do Turismo do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), e as taxas de variação da pesquisa da Cielo.

Indicadores recentes do trabalho informal no Brasil - O trabalho informal cresceu no Brasil no trimestre encerrado em agosto, segundo os números divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) na última Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD) Contínua. A despeito da taxa de desemprego no País estar em queda gradual, o trabalho informal no trimestre junho, julho e agosto de 2019 cresceu 3,9% em relação ao mesmo trimestre de 2018. embora os dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério da Economia, reforçarem que o emprego está em gradual recuperação, com criação líquida de vagas no setor formal (emprego com carteira assinada), a informalidade segue uma tendência positiva e predominante no mercado de trabalho brasileiro, na ótica da PNAD.

Energia solar fotovoltaica - A utilização de energia tem sido cada vez mais presente e essencial na vida de todos. Com o desenvolvimento de novas tecnologias e o surgimento de novas necessidades, aliados ao crescimento quase constante da população mundial, um dos grandes desafios hoje encontrados é a incerteza com relação à disponibilidade futura de energia frente à demanda, principalmente devido ao abrangente uso de fontes não renováveis e à exploração de alta escala dos recursos fornecidos pelo planeta. Diante dessa realidade, novas fontes têm sido buscadas como forma não só de diversificar a matriz energética dos países ao redor do mundo, mas também desenvolver alternativas que busquem uma redução dos impactos, principalmente de ordem ambiental, causados por geração, distribuição e consumo de energia, em grande ou pequena escala.