Rio de Janeiro terá mais empregos em asseio e conservação na Copa 2014

AddToAny buttons

Compartilhe
Seac-RJ espera que sejam criadas 20 mil novas oportunidades de trabalho
Seac-RJ espera que sejam criadas 20 mil novas oportunidades de trabalho
Crédito
Reprodução/TV CNC

A Copa do Mundo 2014 deve gerar 20 mil novas oportunidades de trabalho – o dobro do que é registrado anualmente. A expectativa é do Sindicato das Empresas de Asseio e Conservação do Estado do Rio de Janeiro (Seac-RJ). No Brasil, o setor de prestação de serviços de limpeza e conservação tem cerca de 13 mil empresas.

Segundo Ricardo Garcia, presidente do Seac-RJ e da Federação Nacional das Empresas Prestadoras de Serviços de Limpeza e Conservação (Febrac), uma vaga temporária para a Copa do Mundo pode significar emprego fixo, pois em 2015 o Rio de Janeiro começará os preparativos para as Olimpíadas 2016. “Para o País, as perspectivas de vagas também são boas, tendo em vista que o evento de futebol mais importante do mundo proporcionará novos negócios em todas as regiões onde ele ocorrerá”, conclui Garcia.

O setor de asseio e conservação vai além dos trabalhos em limpeza e engloba cargos que exigem diferentes níveis de escolaridade. Os profissionais contratados para a Copa vão receber cursos de treinamento e aperfeiçoamento profissional, prática comum no setor.

Garcia explica também, que o aperfeiçoamento representa uma forma de garantir a retenção de trabalhadores e o aumento da produtividade. De 2006 a 2011, os recursos para essa atividade no Brasil saltaram de R$ 50 milhões para R$ 110 milhões – um crescimento real de quase 65%.

Algumas contratações já começaram – caso de recepcionistas bilíngues e trilíngues, telefonistas, digitadores, porteiros, vigias, serventes e auxiliar de serviços gerais. A partir de abril a tendência é que elas se intensifiquem, sendo que grande parte dessas vagas está disponível em hotéis, resorts e restaurantes, shoppings, aeroportos e empreendimentos.