Cenário da aviação nacional é discutido durante live da Fecomércio-DF

AddToAny buttons

Compartilhe
24 A 25 jul 20
Ex: 8h00 às 18h00
Botão - Tenho Interesse
Esse preenchimento não garante sua
inscrição. É apenas para fins de comunicação,
envio de novidades e informações sobre o
evento.
O convidado, presidente ABEAR explicou movimentos alternativas tomadas para manutenção do setor.
Crédito
Freepik

O número de voos domésticos e internacionais caíram assustadoramente por conta da pandemia. Para falar sobre o atual cenário da aviação e quais as ações estão sendo tomadas para evitar prejuízos, a Câmara de Turismo e Hospitalidade da Fecomércio-DF convidou o presidente da Associação Brasileira das Empresas Aéreas (ABEAR), Eduardo Sanovicz, para uma live, realizada nesta quarta-feira (22), nas redes sociais da Federação. O presidente do Sindeventos-DF, Luis Otávio Rocha Neves, fez a intermediação da conversa, que contou também com a presença do presidente da Fecomércio-DF, Francisco Maia.

Na oportunidade, Francisco Maia falou um pouco sobre o trabalho da Câmara da Fecomércio-DF em defesa do turismo da cidade. Além de destacar o grave momento que o segmento vem atravessando. “Logo no início do trabalho, fizemos um planejamento de ações. Uma delas foi o Natal Monumental, um sucesso de repercussão nacional, o concurso Marca Brasília, e outras atividades. Com isso, passamos a ser referência na questão do debate sobre turismo em Brasília”, disse Francisco Maia.

Maia destacou ainda que a câmara tem realizado diversas lives, com assuntos variados, para conversar e debater sobre a volta das atividades, de modo seguro

Durante sua fala, Sanovicz abordou, de forma geral, o atual momento da aviação brasileira, com números e ações que estão sendo realizadas para garantir a manutenção das empresas aéreas.

O presidente da Associação Brasileira das Empresas Aéreas (ABEAR) explicou que foi criado um grupo que envolveu toda a cadeia da aviação com o objetivo de criar um protocolo de segurança nacional, que fosse, ao mesmo tempo, validado internacionalmente. “Ouvimos médicos no Brasil e entidades internacionais da aviação. Estamos orientando as pessoas que vão aos aeroportos de máscara, evitando aglomerações. Na prática, quando o passageiro vai até ao raio-x, tem um tapete higiênico e medição de temperatura. Na fila, é obrigatório manter o distanciamento”, disse.

Outro ponto importante do protocolo, destacado por Sanovicz foi a questão da higienização das aeronaves, que está sendo feita constantemente, assim como a instalação de um filtro que renova o ar do avião durante o voo.

Sobre a percepção da crise, Sanovicz disse que já haviam iniciado um trabalho duas semanas antes da pandemia chegar ao Brasil. A partir disso, foi criado uma série de medidas, como o diálogo com o movimento sindical para manter os empregos, mediante a redução de jornada e salários, para evitar demissões; acordo com consumidores para a remarcação de passagens e diálogo com ministérios para a aquisição de um empréstimo, que ainda está sendo discutido.

“Nosso momento de menor atividade foi em abril, tivemos 180 voos diários. Hoje estamos chegando a 600 voos diários, o que é aproximadamente 24% da malha pré-crise”, informou Sanovicz.

Ele falou, ainda, da importância de se investir no turismo doméstico e do potencial de Brasília como destino turístico. Entre outros assuntos, foi abordado também a questão tributária na aviação e o panorama de voos na Europa.

Para acompanhar a íntegra do conteúdo, acesso o link, no youtube da Fecomércio-DF: https://youtu.be/FSRg_9hO6r0

Crédito: Daniel Alcântara (Fecomércio-DF)