Fecomércio-RO celebra compra de equipamentos para alfandegamento do aeroporto de Porto Velho

AddToAny buttons

Compartilhe
25 A 26 dez 20
Ex: 8h00 às 18h00
Botão - Tenho Interesse
Esse preenchimento não garante sua
inscrição. É apenas para fins de comunicação,
envio de novidades e informações sobre o
evento.
Escâner por raio-x multivisão foi entregue para a Infraero 
Escâner por raio-x multivisão foi entregue para a Infraero 
Crédito
Fecomercio-RO

A Fecomércio-RO comemora mais um importante passo para o alfandegamento do Aeroporto Jorge Teixeira de Oliveira, a compra de equipamentos feita pelo Governo do Estado, através da Superintendência Estadual de Desenvolvimento Econômico e Infraestrutura (Sedi). O escâner por raio-x multivisão foi entregue nesta semana para a Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero). 

Trata-se de mais um avanço nas metas previstas no Termo de Cooperação, assinado entre o Governo de Rondônia e a Infraero, com a finalidade de dotar os órgãos públicos das condições necessárias para exercer o controle sobre o fluxo de pessoas e mercadorias no aeroporto de Porto Velho.

Essa parceria, para internacionalizar de fato o aeroporto, entre o Governo do Estado e a Infraero é resultado de um importante trabalho entre a Fecomércio-RO, a Sedi, a Associação Brasileira de Agências de Viagens (ABAV), a Secretaria de Estado do Turismo (Setur), empresa Rima, o Tribunal de Contas do Estado por meio do Profaz e outras entidades que fazem parte do Conselho Empresarial de Turismo e Hospitalidade de Rondônia (Conetur), órgão criado pela Fecomércio-RO em 2015 que une esforços da iniciativa privada e poder público em prol do turismo no Estado. 

O presidente da Fecomércio-RO, que também é vice-presidente da CNC, Raniery Araújo Coelho, destaca que é um orgulho fazer parte dessa história. “São anos de luta em busca de melhores condições de voos para nosso estado. Parabenizamos o governador Marcos Rocha pela compra dos equipamentos e pelo empenho e dedicação das secretarias envolvidas nesta caminhada para que possamos ter voos internacionais e um maior intercâmbio com os países vizinhos. Sem dúvida, o Governo e a iniciativa privada de Rondônia estão buscando, com o alfandegamento, modificar a aviação regional e fazer o Estado de Rondônia ocupar seu papel estratégico nas relações comerciais da Amazônia", ressaltou.