Fecomércio-RS solicita que governador reveja medidas na semana que antecede Dia das Mães

AddToAny buttons

Compartilhe
05 A 06 mai 20
Ex: 8h00 às 18h00
Botão - Tenho Interesse
Esse preenchimento não garante sua
inscrição. É apenas para fins de comunicação,
envio de novidades e informações sobre o
evento.
O pedido, feito ao governador Eduardo Leite, é para que os prefeitos de Passo Fundo e Lajeado revejam restrições
Crédito
Fecomércio-RS

A Fecomércio-RS enviou uma solicitação ao governador Eduardo Leite para que reveja as restrições impostas ao comércio nas regiões de Passo Fundo e Lajeado na semana que antecede a comemoração do Dia das Mães. A limitação ao funcionamento do comércio abrange quase uma centena de municípios que compõem as duas regiões de forma indiscriminada e contrasta com outro anúncio feito pelo governador em 30 de abril, de que as prefeituras teriam liberdade para decidir sobre medidas restritivas enquanto a regulamentação do distanciamento social controlado não fosse publicada.

A proibição das atividades comerciais nas regiões de Passo Fundo e Lajeado prejudica o comércio em uma de suas datas mais importantes, independentemente do tamanho do município, do número de contaminados ou do comprometimento do comércio com a implementação de regras para reduzir o contato entre pessoas e reforçar as regras de higiene. No entendimento da Fecomércio-RS, se Porto Alegre e Região Metropolitana, que concentram o maior número de casos do novo coronavírus, têm a oportunidade de flexibilizar a abertura do comércio com a adoção de novas regras, a mesma oportunidade deve ser estendida a Lajeado e Passo Fundo no período de 4 a 9 de maio, de acordo com a avaliação de cada Prefeitura.

“Estamos muito preocupados com os efeitos negativos deste fechamento indiscriminado e prolongado. O Dia das Mães se configura um momento importante para a geração de receita no comércio, a qual é imprescindível para o pagamento de salários, despesas e impostos. É necessário adaptar os hábitos a este novo momento zelando pela saúde e pela manutenção dos empregos e da renda”, diz o presidente da Fecomércio-RS, Luiz Carlos