O potencial turístico do Brasil e o exemplo de Foz do Iguaçu

AddToAny buttons

Compartilhe
18 A 19 fev 20
Ex: 8h00 às 18h00
Botão - Tenho Interesse
Esse preenchimento não garante sua
inscrição. É apenas para fins de comunicação,
envio de novidades e informações sobre o
evento.
Crédito
Divulgação
revista Turismo em Pauta - edição 44

 

Vermelho (Nelsi Coguetto Maria)*

O Brasil tem um grande potencial turístico que precisa ser mais bem aproveitado. Os investimentos e as ações sempre foram acanhados, mas isso está mudando a partir do governo Jair Bolsonaro, com  as iniciativas do ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio.

Se bem aproveitado, o turismo no País poderá impulsionar a economia, fomentar os negócios e gerar grande número de empregos. Em 2017, o Turismo injetou US$ 163 bilhões na economia nacional e gerou 6,9 milhões de empregos. Com as novas medidas que estão sendo implantadas, o número de empregos poderá saltar para nove milhões.

Entre essas novas medidas, cito a isenção do visto para turistas de Estados Unidos, Austrália, Canadá e Japão que visitam nosso País; a abertura das empresas ao capital estrangeiro; a criação de áreas especiais de interesse turístico; os voos de baixo custo (low cost), que já começam a operar; a aprovação das alterações na Lei nº 11.771/08, a Lei Geral do Turismo, modernizando a legislação; e a liberação de cassinos, o que poderá gerar milhares de empregos e divisas ao Brasil.

Outra medida importante foi o lançamento do programa Investe Turismo, lançado em Foz do Iguaçu por Álvaro Antônio. O objetivo  é unir o setor público e a iniciativa privada para preparar e promover a competitividade em 30 rotas nacionais, por meio de um pacote de ações, investimentos, incentivos a novos negócios, acesso ao crédito, ações de marketing, inovação e melhoria de serviços.

O Brasil, com suas proporções continentais, tem muito a oferecer aos turistas que nos visitam: praias maravilhosas nos litorais do Sul, Sudoeste e Nordeste; as Cataratas do Iguaçu; cidades históricas; maravilhosos parques nacionais como os do Iguaçu, da Tijuca e a Chapada Diamantina; a deliciosa gastronomia; a cultura; o rico folclore...

Agora quero falar sobre a minha querida Foz do Iguaçu, onde moramos e temos os nossos negócios. Promovemos em 2019 alguns eventos, como o Encontro de Líderes de Turismo, o lançamento do Investe Turismo e o Festival das Cataratas, e em todos eles o ministro do Turismo citou a cidade como um exemplo para o País.

Foz do Iguaçu é o portal de entrada do Brasil e precisa de mais investimentos para alavancar o turismo. Por meio de uma parceria com Itaipu, Governo do Estado do Paraná e União, conseguimos viabilizar uma série de obras estruturantes, como a segunda ponte com

o Paraguai; a Perimetral Leste; um grande viaduto na entrada da cidade; e a ampliação e modernização do Aeroporto Internacional de Foz do Iguaçu - Cataratas (IGU). Precisamos duplicar a Rodovia das Cataratas, cujo projeto, bancado pelo Fundo Iguaçu, está no Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT), e o governo estadual está viabilizando os recursos. Precisamos, também, de outras obras importantes para dinamizar e agilizar o trânsito na tríplice fronteira.

Graças à Itaipu e à Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero), está definida a ampliação da pista de pouso e decolagem do nosso aeroporto, numa ação com previsão de investimento de mais R$ 70 milhões. Com a ampliação, iremos melhorar a capacidade operacional de aeronaves, o atendimento à demanda local e comportar voos diretos para Europa e Estados Unidos. Em breve, o nosso aeroporto será um hub do Cone Sul, dos países andinos e uma porta das companhias aéreas de baixo custo.

Como Foz do Iguaçu chegou a uma situação invejável, de exemplo para o Brasil? Foi a partir da gestão integrada do Turismo. Antes, cada um pensava no próprio umbigo, remando para lados opostos. Hoje, todos navegam na mesma direção.

Idealizada em 2009 pelo ex-superintendente de Comunicação da Itaipu e atual secretário de Turismo, Gilmar Piolla, a Gestão Integrada do Turismo de Foz do Iguaçu visa ao desenvolvimento de ações conjuntas, estratégicas e prioritárias, voltadas  para  planejamento  estratégico do turismo; divulgação e promoção do Destino Iguaçu; captação de eventos; e atração de investimentos públicos e privados.

Os resultados foram impressionantes: em 2009, as Cataratas do Iguaçu receberam pouco mais de um milhão de turistas (1.070.072). Esse número foi crescendo ano após ano, e em 2018 chegamos a quase dois milhões visitantes (1.895.508), e em 2019 deveremos ter novamente números grandiosos.

A Itaipu Binacional sempre foi uma parceira incondicional das ações voltadas ao turismo. Neste ano, essa locomotiva ganhou mais energia com a posse do general Joaquim Silva e Luna como diretor-geral da empresa. Desde que assumiu o cargo, Silva e Luna adotou uma política de austeridade que mudou a gestão da usina e passou a ser exemplo de boa administração no setor público. Os gastos desnecessários foram cortados, e os recursos agora estão sendo investidos em obras estruturantes, como a segunda ponte com o Paraguai, a Perimetral Leste e as melhorias no aeroporto.

Hoje, com apoio dos governos estadual e federal e da Itaipu Binacional, os investimentos públicos e privados somam mais de R$ 2 bilhões em obras de infraestrutura, ampliação dos atrativos turísticos e da rede hoteleira, abertura de lojas francas, novas indústrias e novos negócios.

Com o poder público fazendo a sua parte, investindo em obras estruturantes e no marketing, a iniciativa privada se animou e também passou a investir. A hotelaria deve ofertar cerca de 3 mil novos apartamentos, ampliando o número de leitos para 40 mil.

Ainda em 2019, foi prevista a conclusão do segundo empreendimento do Recanto Park Hotel, e as obras do terceiro hotel do Grupo Viale também estão em andamento. O Aquan Prime Resort, primeiro hotel no modelo multipropriedade, foi lançado recentemente. Com um investimento na escala de R$ 100 milhões no Aqua Prime Resort, a Prime Vacation entra no grupo de empresários que estão confiantes no potencial da cidade.

Isso sem contar a rede de hotéis Hard Rock, que anunciou a construção de um complexo turístico localizado na Rodovia das Cataratas, com 564 suítes. A área já foi adquirida, e a inauguração está prevista para 2025. Serão investidos R$ 180 milhões.

Outros hotéis, como Wish Resort, Mabu Thermas Grand Resort e Cataratas Park, confirmaram reformas e ampliações até o próximo ano. O Grupo Cataratas prepara a revitalização do Espaço das Américas, próximo ao Marco das Três Fronteiras. A segunda fase do Blue Park, do Grupo Mabu, estará concluída até o segundo semestre. Outros empreendimentos que serão inaugurados: Museu da Harley Davidson, do Grupo Dreamland, que já oferece três atrações (Museu de Cera, Vale dos Dinossauros e Bar de Gelo); e Museu do Automóvel.

Bem-vindos a Foz do Iguaçu. A Terra das Cataratas lhe espera de braços abertos.

*Nelsi Coguetto Maria, deputado federal (PSD-PR), membro das comissões de Turismo, Agricultura e Viação e Transportes e presidente da Subcomissão de Turismo de Natureza.