Cetur-MT discute a internacionalização do Aeroporto Marechal Rondon

AddToAny buttons

Compartilhe
11 A 12 dez 19
Ex: 8h00 às 18h00
Botão - Tenho Interesse
Esse preenchimento não garante sua
inscrição. É apenas para fins de comunicação,
envio de novidades e informações sobre o
evento.
Crédito
Luiz Henrique/Fecomércio-MT

11/12/2019

Para começar a operar o transporte internacional de passageiros para países sul-americanos, o Aeroporto Marechal Rondon, localizado em Várzea Grande, no Mato Grosso, precisa de pequenas adequações. O manual da Comissão Nacional de Autoridades Aeroportuárias (Conaero), publicado no Diário Oficial da União, trouxe as novas normas. 

Sendo assim, o Conselho Empresarial de Turismo e Hospitalidade (Cetur) da Fecomércio-MT reuniu, na última semana, o trade turístico, o senador Wellington Fagundes (PR-MT) e representantes dos governos municipal e estadual para tratar da internacionalização do Aeroporto Marechal Rondon e da ampliação do mercado turístico de Mato Grosso.

A Centro-Oeste Airports (COA), concessionária responsável por administrar o aeroporto a partir do dia 30 de dezembro, já trabalha para atender às exigências legais de órgãos federais, como a Receita Federal.

O presidente da Fecomércio-MT, José Wenceslau de Souza Júnior, comentou a importância desse processo no principal aeroporto do Estado. “A internacionalização do aeroporto, além de otimizar o fluxo de passageiros, vai abrir as portas do nosso estado para o mundo. Com certeza, o setor mais beneficiado, que é o turismo, vai ajudar a movimentar a economia local nos demais setores econômicos do estado.”

Para o presidente do Sindicato Intermunicipal de Hotéis, Restaurantes, Bares e Similares de Mato Grosso (SHRBS-MT) e vice-presidente do Cetur da Fecomércio-MT, Luiz Carlos Nigro, a internacionalização do Aeroporto Marechal Rondon é um desejo antigo do trade turístico do Estado. “Temos que destacar o papel do senador Wellington Fagundes na concretização desse sonho. Todo esse processo vai proporcionar o barateamento das passagens aéreas, possibilitando o aumento do fluxo de turistas para dentro do Estado.”

O processo de internacionalização do aeroporto vai tornar a capital de Mato Grosso um hub (termo em inglês para designar um aeroporto que serve como centro de distribuição de voos) da América do Sul, conforme destacou o secretário de Cultura, Esporte e Turismo de Cuiabá, Francisco Vuolo. 

“Será uma porta de investimentos que se abre em razão da posição estratégica que Cuiabá ocupa no Centro Geodésico da América do Sul, tornando-se um hub de integração do Brasil com os países latino-americanos. Com certeza, será um novo ciclo de investimentos para fortalecer a cadeia do turismo na capital e no Estado de Mato Grosso.”

O senador Wellington Fagundes acredita que, para se concretizar a internacionalização do aeroporto de Várzea Grande, a concessionária deve cumprir todas as exigências para então ver o sonho do trade turístico se tornar realidade. “Já conversamos com as companhias aéreas, e elas demonstraram interesse em começar, de imediato, a operar voos de Cuiabá para Santa Cruz de La Sierra, na Bolívia.”