CNC presta homenagem a Eraldo Alves da Cruz

AddToAny buttons

Compartilhe
28 A 29 set 20
Ex: 8h00 às 18h00
Botão - Tenho Interesse
Esse preenchimento não garante sua
inscrição. É apenas para fins de comunicação,
envio de novidades e informações sobre o
evento.

A Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), o Sesc e o Senac, representados pelo seu presidente, José Roberto Tadros, sua diretoria e colaboradores do Sistema Comércio lamentam profundamente a morte de Eraldo Alves da Cruz, Secretário-Executivo do Conselho Empresarial de Turismo e Hospitalidade (Cetur) da Confederação, nesse domingo (27), no Rio de Janeiro. 

“Eraldo deu uma grande contribuição para o setor ao longo de sua trajetória profissional, trabalhando com paixão e empenho por um turismo brasileiro forte”, afirmou o presidente da CNC, José Roberto Tadros. “Todos os que tiveram a oportunidade de compartilhar do seu talento e competência sabem da dimensão dessa perda, mas sua memória seguirá nos inspirando. ” 

Trajetória

Profissional de Turismo e Hospitalidade há mais de quatro décadas, Eraldo foi presidente da Associação Brasileira da Indústria de Hoteis (ABIH Nacional), Vice-Presidente e Diretor da Fecomercio-DF, fundador e presidente do Sindicato das Empresas de Turismo do Distrito Federal (Sindetur-DF), 1º vice-presidente do Sindicato dos Hotéis, Restaurantes, Bares e Similares do Distrito Federal (Sindhobar-DF), membro do Conselho Nacional da Associação Brasileira de Agências de Viagens (ABAV), membro da Academia Brasileira de Eventos e Turismo (ABEVT) entre outras funções e cargos  de uma vida dedicada ao desenvolvimento do turismo brasileiro.

Na CNC, Eraldo iniciou suas atividades como assessor da Presidência, em Brasília, atuando em Assuntos Institucionais e Turismo. Foi Secretário-geral da Confederação, participou da criação da Assessoria de Turismo e Hospitalidade (Astur) e, anos depois, da reformulação e unificação da Astur, da Câmara Empresarial de Turismo (CET) e do Conselho de Turismo no atual Conselho Empresarial de Turismo e Hospitalidade, o Cetur, do qual era secretário-executivo. Além de conduzir os debates e as publicações dos Macrotemas, estudos aprofundados com contribuições da CNC para as políticas públicas do turismo, iniciou os seminários Turismo Cenários em Debate, foi o idealizador da revista de artigos Turismo em Pauta, entre outras iniciativas.

Para o diretor da CNC, responsável pelo Cetur/CNC e presidente da FBHA, Alexandre Sampaio, além de amigo, Eraldo era uma referência para o Turismo brasileiro. “Ajudou muito a construir o legado da CNC neste campo, nos últimos anos. Além de hoteleiro de formação na Suíça e poliglota, foi, desde cedo, o dirigente do Hotel Eron (fundado por seu tio), onde, muito jovem, pôde exercer todo o seu conhecimento com simpatia e competência”. Segundo Sampaio, Eraldo construiu uma unanimidade em torno do seu nome e do hotel da família, o melhor de Brasília naqueles tempos. “Tanto no Executivo quanto no Legislativo e no Judiciário, não havia quem não o conhecesse. Uma perda irreparável”, lamenta Sampaio.

 

Homenageado com o título de Cidadão do Rio de Janeiro, em 2014
Homenageado com o título de Cidadão do Rio de Janeiro, em 2014, Eraldo com os filhos Eraldo e Eron, a mãe, Maria Natividade, e a então deputada Aspásia Camargo

Um cidadão do Brasil

Nascido em São Paulo, Eraldo morou por muitos anos em Brasília, onde comandou o Eron Brasília Hotel, e lá recebeu o título de Cidadão Honorário de Brasília (DF), homenagem também recebida em Sergipe (Cidadão Sergipano) e na cidade de Vila Velha (ES). Em 12 novembro de 2014, no dia em que completava 60 anos, foi intitulado Cidadão do Rio de Janeiro pela Assembleia Legislativa do Estado (Alerj).

Uma legião de amigos e admiradores

Para o presidente da Panrotas, José Guillermo Alcorta, será “impossível preencher o vazio deixado por ele. “Um grande amigo e conselheiro que nunca errou nos conselhos e observações que fazia para mim”, disse Alcorta. “Eraldo foi um guerreiro, um profissional muito querido no Turismo, uma pessoa que era preocupada em fazer o bem. Sentiremos sua falta”, declarou o presidente da Panrotas em matéria publicada no site do veículo.  

“A hotelaria nacional está de luto com o falecimento do nosso querido Eraldo Alves, um grande homem, ex-presidente da ABIH Nacional e um exemplo de pessoa e profissional que deixará um grande vácuo na indústria nacional de turismo e no coração de todos aqueles que o conheceram”, declarou, em nota, Manuel Cardoso, atual presidente da ABIH Nacional. 

Em 2020, Eraldo recebeu o título de membro honorário do Brasil Convention & Visitors Bureau (Brasil CVB). “No período de lutas que travamos no Turismo, nos últimos 20 anos, ele foi uma pessoa que se destacou pela sua religiosidade, atenção, competência e grande capacidade de aglutinação”, afirmou o presidente do Brasil CVB, Márcio Santiago.

A hotelaria, o turismo nacional e o Sistema Comércio estão de luto. Eraldo Alves da Cruz faleceu ao lado da esposa, Lenoura Schmidt, chefe de Gabinete da Presidência da CNC, e deixa dois filhos, a mãe, família, inúmeros amigos, admiradores e um exemplo de profissionalismo, perseverança, fé e resistência para todos que o conheceram.