Presidente da Gol participa de debate sobre turismo na CNC

AddToAny buttons

Compartilhe
14 A 15 nov 19
Ex: 8h00 às 18h00
Botão - Tenho Interesse
Esse preenchimento não garante sua
inscrição. É apenas para fins de comunicação,
envio de novidades e informações sobre o
evento.
Paulo Kakinoff apresentou os números da empresa e fez um balanço das atividades de mercado
Paulo Kakinoff apresentou os números da empresa e fez um balanço das atividades de mercado
Crédito
Paulo Negreiros

14/11/2019

O Conselho Empresarial de Turismo e Hospitalidade (Cetur) da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) contribui para o avanço do segmento no País, uma vez que congrega entidades que trabalham diariamente neste trade, trocando informações, convergindo opiniões e montando planos de ação estruturados para o desenvolvimento do Turismo no Brasil. A afirmação é do presidente da Gol Linhas Aéreas, Paulo Kakinoff, que participou da reunião do Cetur nesta quarta-feira (13/11), na sede da CNC em Brasília, apresentando os números da empresa e um balanço das atividades de mercado.
 
“O Turismo é um dos principais fatores propulsores de crescimento econômico, que começa a acontecer pelo trabalho conjunto de um sistema complexo, que envolve muitos agentes (hotéis, companhia aéreas, bureaus). Acredito que temos neste colegiado uma oportunidade de compartilhar dados, com um nível de profundidade muito maior do que se tinha antes, e com isso termos decisões mais assertivas do turismo como um todo”, completou.
 
Em sua explanação, Kakinoff dividiu os clientes da empresa em dois grupos distintos: os que voam por lazer, equivalentes a 73% dos 33,5 milhões de tickets vendidos de outubro de 2018 a setembro de 2019, e aqueles que viajam por negócios ou assuntos relacionados a trabalho, que representam os 27% restantes.
 
Ele pontuou sobre o que incide no custo da passagem aérea — entre vários fatores, o principal é o preço do querosene de aviação —, explicando que, na prática, o passageiro que viaja a negócios praticamente subsidia os preços mais baixos para aqueles que tendem a voar a lazer. "Se eu retirasse esses espaços Premium e não tivesse um sistema específico de tarifas, teria que diluir os custos para todos, ocasionando tarifas mais altas. Se não, teríamos apenas prejuízos e iríamos à falência."

Kakinoff concluiu fazendo uma análise sobre os fatores essenciais para acelerar o desenvolvimento do transporte aéreo no Brasil, e que impactam positivamente no Turismo. “O aumento da renda per capita e a melhoria da infraestrutura dos aeroportos possibilitarão que trabalhemos com mais destinos e menores tarifas, equilibrando oferta e demanda. E o nosso planejamento está comprometido com o crescimento de oferta nos principais aeroportos brasileiros, com expansão de dois dígitos na capacidade doméstica”, disse o presidente da Gol, finalizando ao demonstrar que, de 2018 para este ano, a empresa aumentou o número de seus destinos domésticos de 61 para 104, além de operar mais nove novos destinos e outros 34 realizados por parceiros da companhia.
 
O convite para participar da última reunião do ano do Cetur partiu do presidente da Associação Brasileira das Empresas Aéreas (Abear), Eduardo Sanovicz, que falou com entusiasmo do Conselho. “Reunimos aqui toda cadeira produtiva do Turismo e assim temos espaços para endereçar temas e demandas, principalmente para criar sinergia entre os agentes da mudança, aqueles que podem contribuir para o crescimento do setor. E estarmos com a Gol, apresentando detalhes da aviação para nós, é fundamental, porque nos permite compartilhar com as pessoas informações que nem sempre estão acessíveis.”
 
O senador Izalci Lucas (PSDB-DF), que preside a Comissão de Desenvolvimento Regional e Turismo do Senado Federal, participou da reunião e se colocou à disposição do empresariado na defesa de pautas de interesse e na construção de uma agenda positiva para o fomento do Turismo no País.

Faturamento e empregos no setor

Na ocasião, foi apresentado o Índice Cielo de Vendas do Turismo da CNC (ICV-Tur/CNC), pesquisa desenvolvida pela empresa de serviços financeiros em parceria com a Confederação. Ela aponta a força do turismo em termos de faturamento e geração de emprego. O economista da CNC Antonio Everton Junior levou para a reunião do Cetur os dados de setembro de 2019, que evidenciam a recuperação do turismo brasileiro nos últimos meses.
 
De acordo com o ICV-Tur/CNC, em setembro deste ano o Turismo faturou R$ 19,173 bilhões, um aumento de 6,9% em relação a agosto. Os segmentos de restaurantes e similares (R$ 10,33 bilhões) e transporte de passageiros (R$ 4,95 bilhões) foram os que mais se destacaram. O economista explicou a métrica utilizada para chegar aos números da pesquisa e destacou o Sistema de Indicadores Econômicos (SIE), uma plataforma desenvolvida para hospedar dados dos levantamentos feitos pela CNC, sobre faturamento e emprego no Turismo, para também compartilhar com as federações. “É uma oportunidade de as federações estaduais e nacionais acompanharem todas as pesquisas que realizamos, podendo divulgar uma versão regionalizada e até por segmento”, destacou.

Campanha

O gerente executivo de Comunicação da CNC, Elienai Câmara, fez um balanço da campanha nacional desenvolvida pela Confederação, “Trabalho que valoriza o Brasil”, e reforçou o apoio das entidades e associações que compõem o Cetur para assinatura do abaixo-assinado, que tem por objetivo respaldar, apoiar e fortalecer a atuação do Sesc e do Senac em todo o País, bem como de todo o Sistema Comércio, composto pela CNC, federações e sindicatos.

 “Em cada canto desse Brasil tem, no mínimo, uma pessoa que já foi atendida pelos braços sociais da CNC. A contribuição das empresas do comércio ajuda a promover educação, transformação e desenvolvimento de milhares de pessoas. Por isso, temos que valorizar esse sistema, apoiando na assinatura desta petição”, explicou.