15 A 16 mai 19
Ex: 8h00 às 18h00
Botão - Tenho Interesse
Esse preenchimento não garante sua
inscrição. É apenas para fins de comunicação,
envio de novidades e informações sobre o
evento.

A CNC realizou, em 28 de março, o workshop Prática de Negociação Coletiva. O workshop abordou a vivência, a abordagem e os fundamentos jurídicos das negociações coletivas, além de tratar sobre a segurança jurídica necessária para a construção da pauta patronal.

23 A 24 mai 19
Ex: 8h00 às 18h00
Botão - Tenho Interesse
Esse preenchimento não garante sua
inscrição. É apenas para fins de comunicação,
envio de novidades e informações sobre o
evento.
Todos os municípios cearenses participam do Dia do Desafio 2019
Crédito:
Jr. Panela
Todos os municípios cearenses participam do Dia do Desafio 2019
Crédito
Jr. Panela

No dia 29 de maio, mais 3 mil cidades do continente americano participam da 25ª edição do Dia do Desafio, a maior campanha internacional de estímulo à prática de atividade física, realizada há 36 anos e organizada pelo Sesc São Paulo em toda a América.

O Sesc Ceará é o organizador local e, em parceria com as prefeituras, cadastrou todas as 184 cidades cearenses no desafio de incentivar o maior número de pessoas a se exercitar no mesmo dia. No Dia do Desafio, cada pessoa que registrar pelo telefone 0800.275.5250 a realização de quinze minutos de atividade física contribui para que sua cidade supere a desafiante. Desde caminhadas, alongamentos a exercícios de alta intensidade, qualquer movimentação física pode ser registrada.

Na disputa, as cidades formam duplas e competem pelo maior número de participantes. As duplas se enfrentam no ranking até 2020 e tentam superar a o percentual da população municipal realizar atividade física. Em 2018, quatro cidades onde há unidades do Sesc venceram suas desafiantes (Fortaleza, Iguatu, Juazeiro e Crato).

Fortaleza superou Manaus com 1.542.734 participantes. Juazeiro do Norte venceu o município paulista de Santo André e registrou 204.750 participações. No Crato, 82.657 pessoas realizaram atividade física, superando a cidade venezuelana de Ocumare Del Tuy. Iguatu ganhou da cidade de Nanagua, também na Venezuela, com 73.882 competidores. A cidade de Sobral ficou em segundo lugar com 60.285 pessoas contra a cidade de Birigui (SP).

Neste ano, estas duplas se enfrentam pela segunda vez e preparam programação de atividade física e esportiva para incentivar a participação de mais pessoas. 

Programação

Em 2019, o tema é do Dia do Desafio será “Quando você abraça o desafio, o bem estar abraça você”. Em Fortaleza; Juazeiro do Norte; Iguatu; Sobral; Crato; Aracati; Ibiapina; São Gonçalo do Amarante; Crateús e Quixeramobim, as unidades do Sesc realizam programação gratuita de atividades físicas e esportivas e promovem aulões de ginástica, caminhada, passeio ciclístico em ruas e praças das cidades e aulas laborais nas empresas do comércio.

Em Fortaleza, a Praça do Ferreira será espaço de um circuito de atividades, das 6h da manhã às 18h da tarde no dia 29 de maio. Ciclismo indoor, judô, parede de escalada, aulas de ginástica, Tai Chi Chuan e Capoeira são algumas das opções de atividade física gratuita que o Sesc oferece ao público na capital.

A origem do Dia do Desafio

No  inverno canadense de 1983, o prefeito de Saskatoon, Clifford Wright, sugeriu que todos fossem caminhar para se aquecer. No ano seguinte, Clifford convidou a cidade vizinha e ambas realizaram a caminhada juntas. Estava criada a essência do #Dia do Desafio.

Em 1990, a TAFISA The Association For International Sport for All  assumiu a gestão do evento, que começou a ganhar ainda mais força e adeptos. Em 1995, foi a vez do Sesc São Paulo passar a coordenar as atividades da campanha no Brasil, anos depois, na América Latina e, posteriormente em todo o continente americano. O evento também conta com o apoio da ISCA –International Sport and Culture Association e UNESCO – Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura.

Na edição de 2018, o Dia do Desafio mobilizou mais de 37 milhões de pessoas de 3.189 cidades das Américas.
 

 

Fecomércio

Compartilhe

Fecomércio-CE

Compartilhe

Sesc

Compartilhe
23 A 24 mai 19
Ex: 8h00 às 18h00
Botão - Tenho Interesse
Esse preenchimento não garante sua
inscrição. É apenas para fins de comunicação,
envio de novidades e informações sobre o
evento.
Fecomércio-GO instala Conselho Empresarial de Tecnologia, Inovação e Comunicação (Cetic)
Crédito:
Fecomércio-GO
Fecomércio-GO instala Conselho Empresarial de Tecnologia, Inovação e Comunicação (Cetic)
Crédito
Fecomércio-GO

A Fecomércio-GO instalou no dia 10 de maio, em cerimônia na sede da entidade, em Goiânia, seu Conselho Empresarial de Tecnologia, Inovação e Comunicação (Cetic). O evento foi conduzido pelo presidente da Fecomércio-GO, Marcelo Baiocchi, e reuniu autoridades e empresários do segmento.

Foram anunciados como presidente do Conselho, Marcos Vilela Fonseca (Sindinformática); como vice-presidente Deybson de Santana Cipriano (Assespro); como conselho efetivo Felipe Pinho da Costa (Gyntec) e Leopoldo Veja Jardim (Sesc/Senac).

“Vamos criar condições necessárias para que a tecnologia tenha ascensão, é necessário implantar as estratégias que precisam sair do papel para a prática, transformar e fazer notar que a ciência, a tecnologia e inovação precisam ter ação fundamental no País”, afirmou Celso Gonçalves Camilo Junior, secretário municipal de desenvolvimento Econômico, Trabalho, Ciência e Tecnologia (Sedetc), presente no evento. Foi reforçado o papel crucial do Cetic de promover o debate para o aprimoramento e fortalecimento das políticas relacionadas à inovação no comércio de Goiás, referente às tecnologias da informação e da comunicação.

Também participaram da cerimônia o presidente da Fecomércio-Acre, Marcos Lameira, o presidente da Câmara Técnica de Tecnologia e Inovação do Codese, Jeferson Sena, o diretor de Inovação e Novos Negócios da Funtec, Pedro Luiz da Costa Oliveira, o presidente do Sindinformática, Marco César Chaul, presidente da Femicro-GO, José Augustinho Fogliatto, o presidente ACE Centro-Oeste, Felipe Pinho, o presidente do Sindiaçougue e diretor da fecomércio-GO, Silvio Yassunaga e o vereador Welligton Peixoto.

23 A 24 mai 19
Ex: 8h00 às 18h00
Botão - Tenho Interesse
Esse preenchimento não garante sua
inscrição. É apenas para fins de comunicação,
envio de novidades e informações sobre o
evento.
Membros do Conselho Empresarial de Turismo e Hospitalidade da Fecomércio PA tomam posse em Belém
Crédito:
Veruscka Brizart
Membros do Conselho Empresarial de Turismo e Hospitalidade da Fecomércio PA tomam posse em Belém
Crédito
Veruscka Brizart

No dia 6 de maio, no Centro de Cultura e Turismo Sesc Ver-o-Peso, em Belém, o Conselho Empresarial de Turismo e Hospitalidade (Cetur-PA) da Fecomércio Pará deu posse a seus membros. A cerimônia contou com apresentação da Orquestra Jovem Sesc Casa da Música, e a mesa de abertura foi composta pelo presidente do Sistema Fecomércio-Sesc-Senac/PA, Sebastião Campos; pelo presidente do Sindilojas Belém e coordenador do Cetur-PA, Joy Colares; e pelo diretor da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) e presidente da Federação Brasileira de Hospedagem e Alimentação (FBHA). Participaram do evento convidados, empresários e representantes de outros entidades do setor. 

"Nós temos a satisfação e o orgulho de assumir o protagonismo do Turismo em nosso estado e não vamos medir esforços para que possamos ajudar a desenvolver essa importante atividade. Cumpre ressaltar que este conselho é composto especificamente por empresários do setor, diferentemente dos conselhos que existem e que, em grande parte, são conselhos que têm influência dos poderes públicos. Já os conselhos empresariais possuem maior autonomia e podem desenvolver um trabalho mais eficiente, uma vez que são formados por entidades realmente interessadas no desenvolvimento do segmento", pontuou Sebastião Campos.

O presidente do Sindilojas Belém e coordenador do Cetur-PA, Joy Colares, exibiu um vídeo com informações do segmento turístico e com a composição do Cetur-PA. "Nossa missão é fomentar o desenvolvimento sustentável da cadeia produtiva do turismo em nosso estado. Nossa bandeira principal é fazer com que o Turismo seja reconhecido como uma atividade econômica fundamental para o Pará", explicou Colares.

Já Alexandre Sampaio pontuou a necessidade de estabelecer uma sistemática de atuação integrada da iniciativa privada. "É importante que o empresariado esteja em uma posição uníssona, que discuta suas demandas, suas necessidades, seus posicionamentos e o melhor caminho para realizar os processos de encaminhamento ao poder público, seja ele estadual ou municipal. É fundamental que haja essa coesão e esse consenso do empresariado em todo o seu espectro de atuação no turismo brasileiro", disse. 

06 A 07 mai 19
Ex: 8h00 às 18h00
Botão - Tenho Interesse
Esse preenchimento não garante sua
inscrição. É apenas para fins de comunicação,
envio de novidades e informações sobre o
evento.
imagem com a sigla PEIC
Crédito:
Gecom/CNC
Peic reflete cenário de mais acesso ao crédito e consumo que marcou o início do ano
Crédito
Gecom/CNC

A Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (Peic), da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), mostra que, em abril, o percentual de famílias brasileiras endividadas alcançou 62,7%, um aumento de 0,3 ponto percentual (p.p.) em relação a março deste ano. Se comparado ao mesmo período do ano passado, quando o indicador foi de 60,2% do total de famílias, o aumento foi mais expressivo, de 2,5 p.p.

O percentual de famílias inadimplentes, ou seja, com dívidas ou contas em atraso, também aumentou em abril, se comparado ao mês anterior, passando de 23,4% para 23,9%. No entanto, houve queda da inadimplência em relação ao mesmo período do ano passado, quando o índice chegou a 25% do total.

O número de famílias que declararam não ter condições de pagar suas contas ou dívidas em atraso também aumentou na comparação mensal, passando de 9,4% no mês passado para 9,5% este mês. No mesmo período do ano passado, esse índice foi de 10,3%. Ou seja, as famílias brasileiras também se mostraram mais otimistas em relação à sua capacidade de pagamento, na comparação com o mesmo período do ano anterior.

Para o presidente da CNC, José Roberto Tadros, essa alta consecutiva no percentual de famílias com dívidas pode ser explicada por dois aspectos. "É reflexo da continuidade do processo de recuperação das concessões de crédito e do consumo das famílias. Mas é preciso observar que houve alta do comprometimento médio de renda com o pagamento de dívidas, a primeira elevação deste indicador desde setembro de 2018”, avalia o presidente da Confederação.

O número de famílias endividadas apresentou tendências distintas entre as faixas de renda pesquisadas, na comparação mensal. Para as famílias que ganham até dez salários mínimos, o percentual daquelas com dívidas alcançou 63,9% em abril, superior aos 63,5% observados em março de 2019 e superior aos 62,0% de abril de 2018. Para as famílias com ganhos acima de dez salários, o percentual de famílias endividadas diminuiu, entre março de 2019 e abril de 2019, de 58,3% para 57,5%. Em abril de 2018, o percentual de famílias com dívidas nesse grupo de renda era de 52,2%.

Tipos de dívida

O cartão de crédito foi apontado em primeiro lugar como um dos principais tipos de dívida por 77,6% das famílias endividadas, seguido por carnês, para 15,3%, e, em terceiro, por financiamento de carro, para 10,0%.

Economia

Compartilhe

PEIC

Compartilhe

dívidas

Compartilhe

endividamento

Compartilhe

consumidor

Compartilhe
assinatura
Crédito:
Fecomércio Paraíba
Sesc e Senac vão utilizar Metodologia de empreendedorismo na educação profissional
Crédito
Fecomércio Paraíba

Sesc e Senac da Paraíba e o Sebrae do Estado assinaram, em 2 de maio, em João Pessoa (PB), Termo de Cooperação Técnica e Licenciamento para o uso da Metodologia da Disciplina de Empreendedorismo na Educação Profissional e da Metodologia Despertar. A solenidade teve as presenças dos presidentes da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), José Roberto Tadros, e da Fecomércio-PB, Marconi Medeiros.

O termo tem como objeto o licenciamento para uso da Metodologia, de titularidade do Sebrae, pelo Serviço Social do Comércio (Sesc) e pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac), situados no Complexo Educacional Sesc Senac Dom Ulrico, na capital paraibana. Aproximadamente 60 instrutores do Sesc e Senac serão capacitados por meio a cooperação. Após, eles trabalharão com um total de 500 alunos de ambas as instituições para despertar o instinto empreendedor.

Sistema S proativo

O presidente da CNC, Roberto Tadros, destacou os benefícios da parceria. “Não tenho dúvidas de que esta assinatura é mais uma demonstração do entrelaçamento que existe do Sistema S, que é proativo, tem visão de futuro e objetiva preparar a sociedade para os grandes desafios. Nós precisamos continuar o que estamos fazendo hoje: mão de obra qualificada e empreendedores decididos na perseguição do desenvolvimento”, afirmou o dirigente.

“Esse é um momento de reflexão. Junto com o Sebrae, identificamos como eles poderiam contribuir com o desenvolvimento das crianças e jovens que estão matriculadas no Complexo Educacional Sesc Senac Dom Ulrico. Nós falamos de profissionais e trabalhadores, enquanto o Sebrae trabalha com micro e pequenos empresários e empreendedores. Empreender é falar de jovens e precisamos acreditar neles”, ressaltou o presidente da Fecomércio Paraíba, Marconi Medeiros, em seu discurso.

Já para o Diretor Técnico do Sebrae Paraíba, Luiz Alberto Amorim, “transferir o que o Sebrae tem de expertise na parte do empreendedorismo e levar ao Sesc e Senac, é nosso objetivo com a assinatura do termo.” Ele ainda afirmou que “para desenvolver este País, educação e empreendedorismo são dois termos importantíssimos”, concluiu.

A solenidade foi realizada no Centro de Turismo e Lazer Sesc Cabo Branco. Estiveram presentes também dirigentes do Sistema Fecomércio, Sesc e Senac Paraíba, do Sebrae e representantes do trade turístico paraibano.

Trabalhadores

Compartilhe

Sistema S

Compartilhe

Sesc

Compartilhe

Senac

Compartilhe

Fecomércio

Compartilhe

CNC

Compartilhe
Índice de Confiança do Empresário do Comércio (ICEC) recua pela primeira vez desde agosto do ano passado
Crédito:
Gecom/CNC
Índice de Confiança do Empresário do Comércio (ICEC) recua pela primeira vez desde agosto do ano passado
Crédito
Gecom/CNC

A pesquisa da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) que mede o Índice de Confiança do Empresário do Comércio (Icec) mostrou recuo de 1,5%, em abril, ficando em 125,2 pontos. Esse número ainda está acima da zona de satisfação (100 pontos), mas é menor que os 127,1 pontos do mês de março, na primeira queda do índice desde agosto do ano passado.

Os fatores determinantes para essa queda foram justamente os subíndices que medem as expectativas dos empresários (IEEC), que recuou 2,3%, em relação a março, e a intenção de investimentos (IIEC), que caiu 1,9%, já que, em relação à satisfação com as condições atuais (Icaec), houve até uma leve melhora, de 0,4%, em relação ao mesmo período do mês anterior.

Segundo a pesquisa, 58,2% dos varejistas veem a situação atual do comércio melhor que há um ano, indicando o maior grau de satisfação para meses de abril desde 2011, quando 61,1% se declararam satisfeitos com o ritmo das vendas.

“As vendas do comércio do início do ano apresentaram as maiores taxas de crescimento desde 2014, o que gerou expectativas positivas para 2019”, avalia o presidente da CNC, José Roberto Tadros. “No entanto, a perda na força das vendas e o ritmo das medidas que poderiam dar sustentabilidade à retomada do crescimento, como a reforma da Previdência, vêm contribuindo para um cenário de cautela do empresário, o que se reflete na queda do Icec”, completou.

Outro fator de destaque no resultado da pesquisa da CNC é o mercado de trabalho, que, influenciado pela cautela nos investimentos, apresenta graus de informalidade e subtilização da força de trabalho em patamares significativamente elevados.

Um em cada quatro varejistas ainda vê estoques acima do adequado

Atualmente, 24,4% dos empresários do varejo percebem acúmulo involuntário de estoques nos seus estabelecimentos comerciais – nível semelhante ao de março (24,3%), porém abaixo daquele observado em abril do ano passado, que foi de 27,4%.

Entre os entrevistados, 70,3% relataram disposição para contratar funcionários nos próximos meses, enquanto 47,4% têm planos de investir em novas lojas ou ampliação dos pontos de venda atuais.

Com perspectiva de crescimento ligeiramente maior neste ano (+5,2%) em relação ao ritmo verificado em 2018 (+5,0%), a CNC projeta saldo positivo de 109 mil postos de trabalho formal no varejo e abertura líquida de 23,3 mil novos pontos de venda em 2019.

O encontro contou com a presença de representantes do mercado e apresentou a pauta do setor para o presidente
Crédito:
Roberto Castro/MTur
O encontro contou com a presença de representantes do mercado e apresentou a pauta do setor para o presidente
Crédito
Roberto Castro/MTur

O presidente da República, Jair Bolsonaro, recebeu representantes empresariais do mercado de turismo e viagens, junto com o ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, na quarta-feira, 24 de abril, a fim de discutir estratégias econômicas para o setor. A Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) esteve na reunião, representada pelo seu diretor Alexandre Sampaio, que também preside a Federação Brasileira de Hospedagem e Alimentação (FBHA).

Na ocasião, Sampaio apresentou os segmentos produtivos ali representados e informou que todos integram o Conselho Empresarial de Turismo e Hospitalidade (Cetur) da CNC, que desenvolve um trabalho partícipe com o trade em prol do turismo brasileiro. “A reunião foi muito produtiva, o presidente recebeu e ouviu atentamente as demandas setoriais e informou que quer a participação da iniciativa privada junto ao ministério para negociar o que for necessário para fazer o turismo avançar”, afirmou o diretor da Confederação.

O trade pediu a melhoria do ambiente de negócios, no sentido de que empresas e destinos possam se tornar mais competitivos, o que está de acordo com a agenda estratégica do Ministério do Turismo (MTur) para 2019, que foca em ações que contribuam para a redução do custo de se viajar pelo Brasil. “O presidente está muito alinhado para que o turismo possa realmente ocupar espaço no centro da agenda econômica brasileira, criando oportunidades para alavancar a economia nacional”, avaliou o ministro Marcelo Álvaro Antônio.

Entre as ações por um ambiente mais competitivo está a manutenção da alíquota de 6% do Imposto de Renda Retido na Fonte (IRRF) sobre remessas ao exterior por parte das operadoras de turismo; a eliminação dos impostos sobre o combustível de cruzeiros e da aviação; e a criação de áreas especiais de interesse turístico para atração de investimentos.

Outros temas debatidos no encontro foram: a redução permanente do Imposto de Importação para equipamentos de parques temáticos e a transformação da Embratur em agência de promoção turística internacional, tornando possíveis as parcerias com a iniciativa privada.

100 dias de governo

Nos primeiros 100 dias, o Ministério do Turismo cumpriu 100% das metas previstas: a publicação de decreto que institui a Política Nacional de Gestão Turística dos Patrimônios Mundiais Naturais e Culturais reconhecidos pela Unesco e a Portaria Interministerial que institui a gestão compartilhada entre a Secretaria de Patrimônio da União/Ministério da Economia e o MTur para o aproveitamento turístico de terrenos e prédios de domínio da União.

Outras importantes conquistas da gestão de Marcelo Álvaro Antônio à frente do Ministério do Turismo foram a isenção do visto para turistas australianos, americanos, canadenses e japoneses, que começa a valer em 17 de junho, e a aprovação do PL 2.724/2015 que prevê a abertura das companhias aéreas ao capital internacional e a modernização da Lei Geral do Turismo.