23 March, 2017

Setor imobiliário ganha indicador sobre comportamento do mercado

Coordenador da CBCSI apresentou o “Indicador Nacional da Pesquisa"

Crédito: Paulo Negreiros - CNC

Pedro Wähmann, coordenador da CBCSI, abre a primeira reunião do ano com a câmara mais forte e munida de novas tecnologias

Adicionar aos meus Itens 

A Câmara Brasileira de Comércio e Serviços Imobiliários (CBCSI) reuniu-se na Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), em Brasília, no dia 22 de março, com o objetivo de discutir assuntos afins, em prol do avanço do trabalho do setor imobiliário. Entre os assuntos apresentados e debatidos estão análises de índices colhidos nos últimos três anos (2014, 2015 e 2016), no que diz respeito à locação e venda de imóveis residenciais e comerciais; às perspectivas 2017 sobre o mesmo tema; às necessidades de avanço e mudanças para a manutenção das imobiliárias diante do quadro econômico atual do País; e aos principais projetos de lei acompanhados pela Câmara no Congresso Federal.

Sob a coordenação de Pedro Wähmann, o evento contou com a participação do vice-presidente Administrativo da CNC, Darci Piana, que ressaltou a melhora do trabalho nas câmaras do comércio ligadas à CNC: "No setor de serviços terceirizados, por exemplo, estamos criando uma única câmara nacional de serviços (que engloba qualquer tipo de serviços terceirizados - de vigilância, limpeza, segurança, entre outros - com a participação de 26 entidades representantes de serviços)".

Segundo ele, há programação de trabalho com o Executivo, já tendo sido discutido com os Ministérios das Relações Exteriores (MRE) e o da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC). "Esse trabalho tem sido realizado com vistas a abraçar esse setor e ajudá-lo no seu crescimento e ampliação de todos os tipos de serviços, incluindo, por exemplo, o da saúde", disse Piana ao reafirmar apoio à Câmara do Comércio de Serviços Imobiliários, que mantêm sua estrutura independente.

Pedro Wähmann lembrou aos membros da CBCSI a realização do 3º Encontro dos Executivos dos Secovis, a ser realizado em abril, em São Paulo.

Ele comentou o “Indicador Nacional da Pesquisa”, que tem sido realizada em 16 estados, apresentando o comportamento do mercado no Brasil, diante dos índices colhidos nos últimos três anos. Entre os quais: rentabilidade acumulada de salas comerciais; benefícios aos representados; valor e variação do imóvel residencial para venda.

"O que mostramos hoje é um trabalho que pode nos nortear, mensalmente, com dados facilmente adquiridos pelos empresários do setor no nosso portal", explicou Wähmann ao destacar o interesse em ajudar o empresário do setor.

 

Mercado de locação

 

O coordenador de locação da CBCSI, Leandro Ibagy, apresentou breve análise do mercado de locação no Brasil. Segundo ele, indicadores deixam claro que "juros e desemprego inviabilizam o sonho do locatário de ter seu próprio imóvel".

Ibagy apresentou dados sobre a movimentação do mercado de locação em 2016, como o expressivo volume de imóveis não residenciais em oferta, "o que leva à redução dos valores de aluguel de imóveis comerciais".

Segundo os dados do mercado, em 2016 os preços de locação e venda caíram 12,5% e 7,8%, respectivamente. "Além disso, o IGPM está decolando e o imóvel ainda em processo de queda”, finalizou Ibagy.

Em sequência, a convidada pela câmara, Moira de Toledo, da empresa Rede Avançada de Locação (Ral), veio comentar o atual quadro da locação no Brasil e seu trabalho com foco no aperfeiçoamento da Lei do Inquilinato. Ela destacou a falta de segurança jurídica hoje enfrentada pelo empresário do setor no País, o que também inviabiliza investimentos externos. Além de destacar melhores estratégias no segmento de locação, comentou análise realizada pela Ral da Lei do Inquilinato nº 12.112/2009, a qual conclui avanços após a sua promulgação.

 

Expectativas do mercado de locação residencial em 2017

 

A locação residencial está em processo de aceleração e continuará crescendo em 2017; o estoque atual está equilibrado para atender a essa nova realidade. A CBCSI crê em queda do preço do aluguel para atrair inquilinos e sugere adoções de políticas de estímulo à locação de imóveis comerciais (como inovar a oferta, já deixando-os mobiliados, por exemplo).

 

Comercialização

 

Nilo Zampieri, do Secovi-AL, apresentou dados econômicos, como taxas de juros, relativos ao comércio de imóveis lançados ou usados. Ele analisou os atuais dados como entrave para o avanço do setor, mediante a pesquisa de mercado do setor imobiliário, em nível nacional, realizada pela CBCSI. Zampieri ainda falou da expectativa, tendo em vista a percepção do consumidor, "que é outro desafio a ser superado", disse.

Juarez Soares, do Espírito Santo, destacou a realização do 23° Salão do Imóvel, realizado em 2016. "Fizemos uma pesquisa com foco na valorização do imóvel nos últimos 10 anos, no Espírito Santo. Comparamos os valores dos imóveis com fundos de investimentos. Chegamos ao resultado de que houve, sim, uma valorização do imóvel nos últimos 10 anos. A rentabilidade imobiliária comparada com renda fixa, Ibovespa, CUB-ES, poupança, IGPM, IPCA e com dólar", afirmou Juarez.

Marcos Augusto Netto, coordenador de incorporação, declarou que "o mercado está mudando, e os investidores já estão a par disso" – ao falar sobre a relação do corretor com a imobiliária e do distrato dos contratos imobiliários.

 

Proposições legislativas

 

Moacyr Shukster, coordenador de condomínios, pontuou alguns projetos de lei acompanhados com um foco maior pela câmara, por motivo de divergência. "Somos veementemente divergentes de propostas que sugerem que: os condomínios sejam pessoas jurídicas; a figura dos síndicos seja admitida como empregados; limita o processo de reajuste das taxas de condomínio; proíbe o uso de carpete; seja construída em todos os condomínios uma sala de 60 metros quadrados para uso dos empregados; o locatário tenha voto em assembleia em detrimento do proprietário do imóvel; entre outros temas que prejudicam os avanços do setor como o severo reajuste do IPTU", destacou Shukster.

 

Ações institucionais

 

Por fim, o coordenador da CBCSI informou sobre um café da manhã a ser realizado na Câmara dos Deputados, no dia 17 de maio, a fim de discutir propostas e dificuldades do setor com parlamentares.

"Também na agenda 2017, está programado o XIX Conami, em Salvador na Bahia, no início de 1º a 3 de novembro. O maior evento do nosso setor", finalizou Pedro Wähmann.

Comments

0

Os comentários serão moderados, portanto evite o uso de palavras chulas, termos ofensivos ou comunicação vulgar. Se tiver alguma dúvida sobre o tema abordado aqui, use a nossa Área de Atendimento. Talvez a resposta já esteja lá.

Post new comment

The content of this field is kept private and will not be shown publicly.