17 maio, 2017

Debatedores pedem investimentos para reduzir desperdício de resíduos orgânicos

Adicionar aos meus Itens 

A falta de investimentos em projetos que evitem o desperdício de materiais orgânicos foi criticada nesta terça-feira (16/05) em audiência pública da Comissão do Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável da Câmara dos Deputados. Segundo o deputado Carlos Gomes (PRB-RS), que propôs a reunião, o Brasil perde cerca de R$ 100 bilhões por ano em razão do descarte inadequado de resíduos orgânicos.

“A Lei de Resíduos Sólidos (12.305/2010) diz que a gestão é compartilhada entre a população, o comércio e o poder público. O problema é que o Estado não se preparou para ajudar os outros agentes a fazer um descarte adequado”, argumentou.

“Nós carecemos de recursos, pois 65% dos municípios não remuneram quem faz gestão de resíduos sólidos. Sem dinheiro, não há avanços”, acrescentou o diretor-presidente da Associação Brasileira de Empresas de Limpeza Pública e Resíduos Especiais de São Paulo, Carlos Roberto Vieira.

Possibilidades

Vieira destacou que os materiais orgânicos podem ser transformados em produtos de valor agregado que beneficiam não só o meio ambiente, mas a economia como um todo. “Tais resíduos podem ser utilizados como fertilizantes do solo e gerar energia elétrica por meio do biogás”, exemplificou. O dirigente ressaltou que o desperdício acarreta contaminação de lençóis freáticos e facilita a propagação de doenças na população.

Comunidade

Além da falta de recursos, o presidente da Dar-Vida, empresa que desenvolve equipamentos de compostagem, Washington de Souza, apontou a população também como responsável pelo desperdício de produtos orgânicos. “O cidadão ainda não tem a consciência ambiental adequada para sacramentar as boas práticas. Isso prejudica a saúde de 77 milhões de brasileiros, que são contaminados diariamente por causa da má gestão de resíduos”, afirmou.

Fonte: Agência Câmara

Comments

0

Os comentários serão moderados, portanto evite o uso de palavras chulas, termos ofensivos ou comunicação vulgar. Se tiver alguma dúvida sobre o tema abordado aqui, use a nossa Área de Atendimento. Talvez a resposta já esteja lá.

Post new comment

The content of this field is kept private and will not be shown publicly.