3 maio, 2018

Finanças rejeita isenção de IR para sociedades limitadas por ágio de cotas

A Comissão de Finanças e Tributação rejeitou na quarta-feira (25/04), por inadequação orçamentária e financeira, o Projeto de Lei nº 7.965/17, do deputado Carlos Bezerra (PMDB-MT), que concede um benefício fiscal para as sociedades limitadas (empresas identificadas pela abreviatura Ltda.). Com a rejeição, o projeto será arquivado.

O PL 7.965/17 estende às sociedades limitadas a isenção do Imposto de Renda (IR) hoje concedida às sociedades anônimas (S/A) sobre o ágio resultante da venda de ações. Ágio é a diferença entre o valor em que a ação é negociada e o seu valor nominal. É o lucro da operação. O projeto prevê a mesma isenção do IR para o ágio obtido na venda de cotas da empresa limitada.

Responsabilidade fiscal

A rejeição foi pedida pela relatora da proposta, a deputada Yeda Crusius (PSDB-RS). Segundo ela, o projeto afeta a arrecadação federal e não traz estimativa do impacto orçamentário-financeiro e formas de compensação pela perda de receita, como determinam a Lei de Responsabilidade Fiscal (Lei Complementar nº 101/00), a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO, Lei nº 13.473/17) e a Emenda Constitucional nº 95 (emenda do teto de gastos).

Sem estes dados, uma norma da Comissão de Finanças recomenda a rejeição do projeto por inadequação orçamentária e financeira.

Fonte: Agência Câmara

Comments

0

Os comentários serão moderados, portanto evite o uso de palavras chulas, termos ofensivos ou comunicação vulgar. Se tiver alguma dúvida sobre o tema abordado aqui, use a nossa Área de Atendimento. Talvez a resposta já esteja lá.

Post new comment

The content of this field is kept private and will not be shown publicly.