15 January, 2019

Varejo consolida recuperação e tem o melhor novembro em quatro anos

Móveis e eletrodomésticos foram alguns dos responsáveis pelas vendas na Black Fr

Crédito: Reprodução/TV CNC

Móveis e eletrodomésticos foram alguns dos responsáveis pelas vendas na Black Friday

Dados divulgados hoje (15) pelo IBGE, na Pesquisa Mensal de Comércio (PMC), mostram que o volume de vendas dos dez segmentos que integram o comércio varejista no conceito ampliado avançou 1,5% em relação ao mês anterior, já descontados os efeitos sazonais. Esse foi o melhor resultado nesse tipo de comparação desde 2014 quando o indicador mensal avançou no mesmo ritmo (+1,5% em relação a outubro daquele ano).

Já em relação a novembro de 2017, o varejo ampliado registrou crescimento de 5,8%, destacando-se as altas de 16,9% nas vendas de artigos de uso pessoal e doméstico e de 12,8% no comércio automotivo. Juntos, esses dois segmentos, foram responsáveis 83% do aumento das vendas ante novembro de 2017.

Segundo a pesquisa, os destaques de novembro foram os segmentos de artigos de uso pessoal e doméstico (+6,0%) e móveis e eletrodomésticos (+5,0%). “Esses segmentos são tipicamente aqueles mais impactados pelo aumento das vendas decorrentes da Black Friday”, diz o chefe da Divisão Econômica da CNC, Fabio Bentes. “É um evento caracterizado por ações coordenadas de promoções em diversos segmentos do varejo, mas, especialmente, naqueles de linha branca e eletroeletrônicos e que na edição de 2018 proporcionou ao setor um faturamento R$ 3,3 bilhões”, pontua o economista.

Avanço regional

Regionalmente o volume de vendas registrou avanços em 25 das 27 unidades da Federação com destaques para os Estados do Espírito Santo (+14%), Rondônia (+11%) e Santa Catarina (+10,9%). No acumulado do ano de 2018 até novembro, o varejo apresentou alta de 5,4% - maior taxa para este período desde 2012.

Perspectivas 2019

O recuo da taxa de câmbio nas últimas semanas e a percepção de que a economia internacional crescerá menos do que o projetado favorecem a manutenção dos juros básicos no piso histórico, permitindo a reação também do mercado de crédito. Diante desse cenário, a CNC revisou de +5,5% para +5,8% sua expectativa quanto à variação do volume de vendas do varejo ampliado ao final de 2019.

Acesse a análise completa da PMC.

 

Download

  • Análise PMC - novembro 2018 | Download

Comments

0

Os comentários serão moderados, portanto evite o uso de palavras chulas, termos ofensivos ou comunicação vulgar. Se tiver alguma dúvida sobre o tema abordado aqui, use a nossa Área de Atendimento. Talvez a resposta já esteja lá.

Post new comment

The content of this field is kept private and will not be shown publicly.