5 junho, 2018

Dia Mundial do Meio Ambiente

Coalizão Embalagens investiu R$ 2,8 bilhões em reciclagem, capacitação de 802 cooperativas e criação de 2.082 PEVs

Em 5 de junho, o mundo comemora o Dia Mundial do Meio Ambiente e, em 2018, a ONU Meio Ambiente (Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente – PNUMA) elegeu como tema a poluição plástica. A data é uma oportunidade para sensibilizar e alertar a sociedade para a produção e o consumo excessivo de produtos plásticos. Segundo a ONU Meio Ambiente, por ano, são consumidas até 5 trilhões de sacolas plásticas e metade do plástico consumido é descartável.

A Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) participa da elaboração dos acordos setoriais que determinam as responsabilidades da indústria, do comércio e dos consumidores na logística reversa (LR) pós-consumo, que envolve todos os processos de recebimento e destinação do resíduo para reaproveitamento na cadeia produtiva ou descarte adequado. Os acordos setoriais integram a Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS), estabelecida pela Lei nº 12.305/2010.

Algumas iniciativas de logística reversa foram implantadas antes da PNRS, como a de pneus inservíveis; embalagens de agrotóxicos; óleo lubrificante usado ou contaminado (Oluc); e pilhas e baterias. Outros acordos foram criados e estão em implementação para dar conta da LR de embalagens plásticas de óleos lubrificantes; lâmpadas fluorescentes de vapor de sódio e mercúrio e de luz mista; produtos eletroeletrônicos e seus componentes; embalagens em geral (incluindo sacolas plásticas); e resíduos de medicamentos e suas embalagens.

Com a necessidade cada vez maior de que os modelos corporativos das empresas prevejam a adoção de práticas que reduzam os impactos ambientais e gerem benefícios econômicos e sociais, a participação dos empresários ganha destaque.

Por um destino correto para as embalagens plásticas

A CNC apoia a Coalizão Embalagens, entidade responsável pela logística reversa de embalagens em geral e que reúne 22 associações empresariais e milhares de empresas engajadas na implementação da PNRS. Na primeira fase do Acordo Setorial para Logística Reversa de Embalagens em Geral, entre 2012 e 2017, foram investidos pelo setor empresarial R$ 2,8 bilhões em triagem, pontos de entrega voluntária (PEV) de resíduos, campanhas, novas tecnologias, aumento da capacidade instalada, treinamento e reciclagem. Além disso, foram capacitadas 802 cooperativas e instalados 2.082 PEVs, enquanto a meta estabelecida pelas políticas públicas era de 640 pontos de entrega.

A segunda fase do acordo, que vai de 2018 a 2022, é mais abrangente. A proposta é aumentar em 28% o recolhimento de resíduos. Os investimentos e as quantidades de embalagens recuperadas serão acompanhados anualmente pela Coalizão para a verificação do cumprimento das determinações e metas.

Faz parte da implantação da logística reversa das embalagens o trabalho de conscientização e educação, como o movimento Separe. Não Pare. Ele foi criado pela Coalizão Embalagens para informar, inspirar e mobilizar a população brasileira a separar e descartar corretamente os resíduos sólidos domésticos e tem o apoio da CNC e da ONU Meio Ambiente.

Outros exemplos são as mais de 400 unidades de recebimento de embalagens de agrotóxicos, que em 2017 recolheram 475.644 toneladas do resíduo.

As empresas podem colaborar. E, para esclarecer e incentivar o engajamento dos empreendedores, a CNC elabora e publica orientações sobre o Plano de Gerenciamento de Resíduos Sólidos e, nos acordos setoriais, Embalagens em Geral e de Sacolas Plásticas.

Sobre a Coalizão Embalagens

A Coalizão é resultado de um acordo setorial que busca alternativas para ampliar a reciclagem no País. Conta com a participação de produtores, importadores, usuários e comerciantes de embalagens, além do apoio do Compromisso Empresarial para Reciclagem (Cempre) e da CNC. A missão da Coalizão é reduzir em 22% a quantidade de embalagens encaminhadas para aterros sanitários no Brasil, até 2018.

Sobre a ONU Meio Ambiente

O ONU Meio Ambiente (PNUMA), principal autoridade global em meio ambiente, é a agência do Sistema das Nações Unidas (ONU) responsável por promover a conservação do meio ambiente e o uso eficiente de recursos no contexto do desenvolvimento sustentável. No Brasil, o escritório trabalha para disseminar informações sobre acordos ambientais, programas, metodologias e conhecimentos em temas ambientais relevantes da agenda global e regional.

Comments

0

Os comentários serão moderados, portanto evite o uso de palavras chulas, termos ofensivos ou comunicação vulgar. Se tiver alguma dúvida sobre o tema abordado aqui, use a nossa Área de Atendimento. Talvez a resposta já esteja lá.

Post new comment

The content of this field is kept private and will not be shown publicly.