21 November, 2016

Enaex 2016 discute mercados dos EUA e China

logo do evento

Crédito: Divulgação Enaex

35ª edição do Enaex será realizada nos dias 23 e 24 de novembro, no Rio de Janeiro, e tem a CNC como patrocinadora

Adicionar aos meus Itens 

O Brasil pode ser afetado apenas indiretamente pela eleição de Donald Trump nos Estados Unidos. Sua retórica protecionista poderá limitar o crescimento do comércio global, mas não deverá haver nenhuma ação específica contra o Brasil ou mesmo a Argentina, ao contrário do México. A avaliação é de Thomaz Zanotto, diretor do Departamento de Relações Internacionais e Comércio Exterior da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Derex/Fiesp) e também da Associação de Comércio Exterior do Brasil (AEB). Ele será o moderador do painel “Estados Unidos e China: Mercados Especiais, Atenção Prioritária”, a ser realizado das 11h30 às 12h30 do próximo dia 23, no Rio, após a abertura do Encontro Nacional de Comércio Exterior (Enaex 2016), que tem a Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) como patrocinadora.

Segundo Zanotto, para os EUA, o Brasil é “non issue” (uma “não questão”, ou seja, não representa um problema). Além disso, os EUA têm superávit com o Brasil, e, em termos de manufaturas, o comércio entre os dois países se dá “intra company” (entre filiais e matrizes de uma empresa). O especialista avalia que o painel sobre o tema será um dos mais importantes do Enaex 2016, reunindo os embaixadores do Brasil nos Estados Unidos, Sérgio Amaral, e na China, Marcos Caramuru.

Momento oportuno

Sérgio Amaral foi ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior no Governo FHC e presidente do Conselho Empresarial Brasil-China. Caramuru foi cônsul-geral em Xangai e, durante um período, atuou como empresário. Ele montou uma consultoria que prestava serviços a empresas brasileiras interessadas em atuar na China. Mora em Xangai.

“Será um debate importantíssimo, em um momento em que vozes protecionistas se levantam, em que o Brasil colocou o comércio exterior na centralidade de sua recuperação econômica, e também em que o comércio global, pela segunda vez desde 2007, está crescendo 1,6%, abaixo dos 2% da economia mundial”, afirmou Thomaz Zanotto.

Sobre o ENAEX 2016

O Enaex 2016 é considerado uma referência do comércio exterior brasileiro. Promovido pela AEB, conta com patrocínio da CNC. Durante o evento os participantes vão ter acesso a workshops, painéis e discussões sobre os principais temas ligados ao comércio exterior brasileiro. Terão ainda a oportunidade de participar de despachos executivos e reuniões, assim como visitar a área de exposição com estandes de empresas, entidades, órgãos públicos e mídias especializadas.

Paralelamente ao evento, ocorrerá a reunião do Conselho de Comércio Exterior do Mercosul (Mercoex), formado pelas coirmãs da AEB no âmbito regional: Cera (Câmara de Exportadores de la República Argentina), UEU (Unión de Exportadores del Uruguay) e CIP (Centro de Importadores del Paraguay).

Em reconhecimento às empresas e instituições que se destacaram no comércio externo do Brasil no ano anterior, a AEB e o Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC) concederão durante o evento o Prêmio Destaque de Comércio Exterior 2016, que está em sua 22ª edição.

As inscrições, gratuitas, estão abertas no site www.enaex.com.br, onde os interessados poderão encontrar também mais informações sobre o evento.

Comments

0

Os comentários serão moderados, portanto evite o uso de palavras chulas, termos ofensivos ou comunicação vulgar. Se tiver alguma dúvida sobre o tema abordado aqui, use a nossa Área de Atendimento. Talvez a resposta já esteja lá.

Post new comment

The content of this field is kept private and will not be shown publicly.