24 November, 2016

Exportação de serviços tem potencial para crescer

Edna Cesetti, Darci Piana e Javier Peña Capobianco

Crédito: Carolina Braga/CNC

Edna Cesetti, Darci Piana e Javier Peña Capobianco

Adicionar aos meus Itens 

No segundo dia do Encontro Nacional de Comércio Exterior (Enaex 2016), evento de referência do setor no Brasil, quinta-feira (24), o painel de abertura dos debates teve como tema “Exportação de serviços, um mundo a ser conquistado”. Com mediação do vice-presidente Administrativo da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), Darci Piana, o painel contou com as participações de Edna Cesetti, diretora de Competitividade Internacional em Comércio e Serviços da Secretaria de Comércio e Serviços do ministério de Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (SCS-MDIC), e Javier Peña Capobianco, secretário-geral da Associação Latino Americana de Exportadores de Serviços (Ales).

“A área de serviços em alguns do principais países do mundo representa mais de 70% do PIB (Produto Interno Bruto)”, afirmou Darci Piana, na abertura do painel. “Aqui no nosso país ainda não chegamos a isso, mas o setor vem crescendo e representa um volume extraordinário de empregos”, completou, observando a importância de o Brasil ampliar sua participação no mercado internacional de serviços. O setor vem sendo marcado por uma conta estruturalmente deficitária e um segmento em que o Brasil está em 32º entre os exportadores mundiais e em 19º entre os importadores, uma desproporção, se for considerado o tamanho de sua economia, atualmente entre as oito maiores do planeta.

O potencial de exportação de serviços do Brasil foi enfatizado por Edna Cesetti, com destaque para o trabalho que o MDIC vem realizando na interlocução com os empresários, ouvindo as necessidades e demandas dos diversos setores envolvidos e encaminhando soluções. “O Enaex é um espaço importante para destacarmos as políticas públicas coordenadas pelo MDIC para o setor de serviços, assim como para apresentarmos um cenário do comércio exterior de serviços do Brasil, seus desafios e potencialidades”, afirmou.

Javier Capobianco falou da importância da AEB ter passado a integrar a Ales. O trabalho foi desenvolvido pelo MDIC, visando fortalecer o papel da entidade como stakeholder no comércio exterior de bens e serviços e a estratégia de posicionar como uma região exportadora de serviços.  A entidade atua para promover a América Latina como uma plataforma de serviços globais e fomentar um melhor posicionamento da região no mercado internacional de serviços. São 17 instituições públicas e privadas de 17 países: além do Brasil fazem parte Argentina, Bolívia, Chile, Colômbia, Costa Rica, Equador, El Salvador, Guatemala, Honduras, México, Nicarágua, Panamá, Paraguai, Peru, República Dominicana e Uruguai.

O Enaex

É considerado um evento de referência do comércio exterior brasileiro. Promovido pela Associação de Comércio Exterior do Brasil (AEB), o evento reúne empresários, autoridades, executivos e profissionais do setor, tendo a CNC como patrocinadora.

Comments

0

Os comentários serão moderados, portanto evite o uso de palavras chulas, termos ofensivos ou comunicação vulgar. Se tiver alguma dúvida sobre o tema abordado aqui, use a nossa Área de Atendimento. Talvez a resposta já esteja lá.

Post new comment

The content of this field is kept private and will not be shown publicly.