8 December, 2015

Construção compartilhada de objetivos para enfrentar desafios

Construção compartilhada de objetivos para enfrentar desafios

Crédito: Carolina Braga

Construção compartilhada de objetivos para enfrentar desafios

Adicionar aos meus Itens 

A Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) realiza, nos dias 8 e 9 de dezembro, o Encontro de Executivos das Federações e o Encontro de Multiplicadores do Sistema de Excelência em Gestão Sindical (Segs). 

Por dois dias, estiveram reunidos no Rio de Janeiro representantes de federações do comércio de todo o País, para darem segmento aos debates iniciados durante o Congresso Nacional do Sistema Confederativo da Representação Sindical do Comércio (Sicomércio 2015), realizado em outubro deste ano na cidade, com foco nos seis eixos de atuação de uma entidade sindical: Relações Sindicais, Atuação Legislativa, Atuação Gerencial, Produtos e Serviços, Comunicação e Representação. 

“Trouxemos para um mesmo ambiente os executivos e os multiplicadores porque são grupos que representam ações estratégicas. São eles que transitam entre os corpos diretivo e técnico da Confederação e os sindicatos”, explicou Marcos Arzua, secretário-geral da Confederação, ao abrir o evento. “O País passa por uma convulsão, e não estamos dissociados disso. Nosso papel é fortalecer o Sistema e trabalhar com unidade”, complementou. 

Arzua também explicou o trabalho da Confederação e a junção dos dois grupos no evento. “Nossos métodos de trabalho são permanentemente discutidos pelas áreas técnicas da CNC, com base em sugestões dos próprios executivos e multiplicadores; e isso nos levou à construção de um encontro diferente. Ao captar dados e prioridades, buscamos a construção conjunta de objetivos para enfrentar o próximo exercício”, apontou, destacando que o formato do Encontro, inclusive, é reivindicação dos próprios grupos. 

Mateus Dornelas, assessor técnico do Departamento de Planejamento (Deplan) da CNC, explicou o direcionamento dos trabalhos do Encontro, baseado nos seis eixos de atuação sindical: “Vamos alinhar oportunidades e soluções para possíveis problemas ligados aos eixos”. Dornelas falou, ainda, da pesquisa de priorização dos resultados e atuações das entidades sindicais, realizada pelo Deplan. Durante a parte da manhã também foram apresentados ações e resultados dos seis eixos, conduzidos pelos representantes das áreas envolvidas. 

Clique aqui e veja como foram as apresentações com relação a cada eixo de atuação das entidades sindicais.

Apresentação Secovi

Os participantes do Encontro puderam conhecer o case do Sindicato da Habitação do Rio de Janeiro (Secovi Rio). A coordenadora de Relações Político-Institucionais do sindicato, Mônica Carvalho, e a coordenadora de Desenvolvimento, Graziela Santos, falaram sobre as mudanças no planejamento estratégico do sindicato após a adesão ao Segs, em março de 2015.

Segundo Mônica, o planejamento fez a diferença no cotidiano do sindicato e também em ações de longo prazo. “O planejamento estratégico é uma ferramenta que direciona a entidade a realizar tudo aquilo que ela determina como missão e visão, define seus objetivos, metas e ações e permite o acompanhamento constante no alcance dos seus propósitos”, completou Graziela Santos.

Para desenvolver as melhorias necessárias, foi preciso, ainda, monitorar todos os fatores da atividade sindical, como o gerenciamento financeiro, as tecnologias empregadas no sindicato e, talvez o mais importante, as pessoas que atuam diretamente nas ações do cotidiano. “O apoio da CNC nesse sentido foi fundamental para que pudéssemos ter essa visão. O Segs promove maior profissionalização da atividade sindical, dando condições de oferecer produtos e serviços que atendam às necessidades dos seus representados”, disse a coordenadora do Secovi Rio.

Estudo de caso Fecomércio-BA

No segundo dia, 9 de dezembro, o superintendente Executivo da Fecomércio-BA, Paulo Studart, fez uma apresentação sobre as ações realizadas pela federação baiana em um novo cenário proposto para 2015. Segundo Studart, ele foi convidado pela Presidência da Federação a promover a “cultura da mudança”.

Ele apresentou as principais diretrizes para o quadriênio 2014-2018 e algumas ações realizadas para garantir a efetivação dessas diretrizes. Segundo o superintendente Executivo, cada uma foi pensada de acordo com as necessidades das entidades. “Tudo foi pensado com o objetivo de fortalecer a representatividade da Federação e dos sindicatos. Quem de fato representa o comércio em meio a tantas associações comerciais? A Fecomércio tem que fazer o papel dela e se afirmar como verdadeira representante”, completou.

Presente na apresentação, o vice-presidente Administrativo da CNC e presidente da Fecomércio-PR, Darci Piana, afirmou estar contente por ver tantas ações sendo aplicadas na Bahia e ressaltou que momentos de troca como o Encontro de Executivos são benéficos para todo o Sistema. “Entre mostrar conhecimento e colocar em prática há uma distância muito grande. Esse relacionamento entre as federações, esta oportunidade única de estarmos aqui reunidos para discutir nossos desafios em comum, apesar das particularidades de cada um, é fundamental”, disse Piana.

Também presente na palestra, o diretor-secretário da CNC e presidente da Fecomércio-SC, Bruno Breithaupt, disse que todas as federações têm sua parcela no sucesso do Sistema CNC-Sesc-Senac. “Hoje, nossa principal preocupação é com os sindicatos, com a autossustentação financeira dessas entidades em um momento tão difícil. São encontros como este que proporcionam as soluções para desafios tão grandes. Espero que tenhamos cada vez mais essa troca de informações”, completou Breithaupt.

Comments

0

Os comentários serão moderados, portanto evite o uso de palavras chulas, termos ofensivos ou comunicação vulgar. Se tiver alguma dúvida sobre o tema abordado aqui, use a nossa Área de Atendimento. Talvez a resposta já esteja lá.

Post new comment

The content of this field is kept private and will not be shown publicly.