28 April, 2016

Para alcançar empresas, Segs se propõe a novos desafios

Palestra de Gilmar Barboza, consultor em Desenvolvimento Associativo

Crédito: Carolina Braga

Palestra de Gilmar Barboza, consultor em Desenvolvimento Associativo e diretor da Forward Consultoria

Adicionar aos meus Itens 

Os representantes das Federações de Comércio estaduais e nacionais participantes do Sistema Programa de Excelência em Gestão Sindical (Segs), reunidos na Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), no Rio de Janeiro, durante os dias 25 e 26 de abril, se propuseram a um novo desafio: estruturar ideias e ações para que o programa alcance as empresas representadas pelas federações e sindicatos de comércio de todo o País, contribuindo, assim, para que tenham mais competitividade em suas atuações. 

Nesse sentido, os trabalhos do XIX Encontro de Multiplicadores do Segs foram desenvolvidos com a participação direta daqueles que fazem o Segs acontecer nas bases. A pauta foi estruturada com os objetivos de refletir sobre o programa e sobre as formas de atuação no eixo gerencial; analisar oportunidades de melhoria das iniciativas do programa; e projetar as ações conjuntas para o ciclo 2016. 

Na abertura do dia 25, Rodrigo Wepster, do Departamento de Planejamento (Deplan) da Confederação, explicou que o formato da reunião foi construído com base nas demandas dos próprios participantes. A necessidade de mais encontros, por exemplo, foi uma delas. “Nossas ações precisam de oxigenação, e para isso estamos aqui: para refletirmos sobre o programa, dentro do eixo de atuação gerencial, que é transversal e apoia as ações dos sindicatos”, disse Wepster. 

Para Marcos Arzua, secretário-geral da CNC, os multiplicadores do Segs nas Federações têm papel decisivo para o sucesso das iniciativas. Nesse sentido, fez um pedido aos presentes: “É importantíssimo levar para fora as conclusões a que chegaremos aqui. Vocês são os promotores deste trabalho em seus estados”, disse. Desde 2008, o Segs já promoveu mais de 8 mil horas de consultoria e treinamentos para 445 entidades que, em média, participam anualmente do programa. Nos dois dias do encontro, os multiplicadores puderam participar de dinâmicas para, entre outros temas, planejar inovações, analisar oportunidades de melhoria e priorizar os próximos passos. 

Fatores de sucesso

No sentido de trazer ao contexto do Segs a experiência de gestão de outras entidades, os trabalhos do dia 25 contaram com palestra de Gilmar Barboza, consultor em Desenvolvimento Associativo e diretor da Forward Consultoria. “O Segs pode contribuir para a solidez dos sindicatos quanto a seu modelo organizacional e à competência principal de uma entidade sindical, que é o aumento da competitividade das empresas filiadas”, afirmou Barboza. “O Segs foi concebido para apoiar as entidades a melhorarem sua gestão interna e poderem entregar melhores resultados às empresas”, complementou Rodrigo Wepster. 

De acordo com Gilmar, as tecnologias disponíveis no mercado para gestão de entidades de representação empresarial são suficientemente abundantes para inspirar, na CNC, um modelo orientado pela gestão do conhecimento. “Como turbinar esta rede que é o Segs, arregimentando mais atores e com um portfólio ampliado?”, provocou o consultor. 

Para Barboza, alguns fatores de sucesso podem ser considerados na hora da mudança: a proposição de um modelo, por intermédio da Confederação, que vise à disseminação de produtos corporativos; a escolha de sindicatos de relevância, mediante a criação de requisitos mínimos de participação no programa, que possam ser inspiradores da transformação em todo o Sistema CNC; a implementação de um programa de núcleos setoriais e a incorporação da figura do consultor associativo. “Há um gigantesco vácuo de representação a ser preenchido: mais de 6 milhões de empreendedores individuais e mais de 7 milhões de empresas no País. Quando a discussão se estende à oferta qualificada de produtos, serviços, ações de cooperação e representação, esse vácuo é ainda maior”, contextualizou Gilmar Barboza. 

Para Reginaldo Henrique Lima, multiplicador do Segs e diretor do Núcleo de Gestão Estratégica da Fecomércio-MS, ao se atualizar, o programa fortifica o objetivo de responder às necessidades das entidades do Sistema Comércio. “Nós multiplicadores, que estamos na ponta do processo, entendemos que é importante avaliar os resultados do programa face às realidades tecnológica e econômica de hoje. Por isso, nos reunimos para refletir sobre esses temas. Agora, vamos trabalhar no sentido de buscar soluções mais simples e adaptadas às novas necessidades, mantendo o foco na defesa dos interesses dos empresários e das empresas do comércio”, afirmou. 

Marketing Associativo

No segundo dia de atividades (26), a assessora de Comunicação Luciana Neto falou aos multiplicadores sobre o projeto de Marketing Associativo. “O objetivo da iniciativa é preparar as entidades para se apresentarem ao mercado, utilizando um material alinhado com a comunicação do Sistema Comércio”, afirmou Luciana. Segundo ela, também são objetivos da iniciativa gerar uma maior aproximação com os empresários, incentivando um contato mais constante e a comunicação de ações e produtos e serviços; capacitar as entidades a planejar, realizar e monitorar ações que promovam a instituição e divulguem suas ações; disponibilizar peças para divulgação e apresentação dos sindicatos; e promover uma campanha de valorização sindical e do Sistema Comércio. Marcelo Vital, também da Assessoria de Comunicação da CNC, falou sobre o projeto Sites Sindicais para os participantes do encontro.

Clique aqui para acessar as fotos do Encontro.

Comments

0

Os comentários serão moderados, portanto evite o uso de palavras chulas, termos ofensivos ou comunicação vulgar. Se tiver alguma dúvida sobre o tema abordado aqui, use a nossa Área de Atendimento. Talvez a resposta já esteja lá.

Post new comment

The content of this field is kept private and will not be shown publicly.