3 February, 2017

CNC destaca atuação do Sesc e do Senac na área de Saúde

CNC destaca atuação do Sesc e do Senac na área de Saúde

Crédito: Fecomércio-RN

CNC destaca atuação do Sesc e do Senac na área de Saúde

Adicionar aos meus Itens 

O vice-presidente da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), deputado Laércio Oliveira, participou, no dia 1º de fevereiro, em Brasília, da 173ª Reunião Ordinária da Comissão Intersetorial de Recursos Humanos e Relações de Trabalho do Conselho Nacional de Saúde (CIRHRT/CNS). 

Uma das pautas da reunião tratou do Projeto de Lei nº 559/2015, do deputado Jorge Solla (PT-BA), que dispõe sobre a criação do Serviço Social da Saúde (Sess) e do Serviço Nacional de Aprendizagem em Saúde (Senass). Na ocasião, Laércio expôs dados e argumentos sobre a atuação do Serviço Social do Comércio (Sesc) e do Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac) na área de Saúde. 

Projeto atingiria trabalhador da área de Saúde e sociedade como um todo

Laércio Oliveira explicou durante o debate que o Sesc e o Senac são mantidos com receitas de contribuições das empresas, destinadas a oferecer serviços aos trabalhadores brasileiros. “Os recursos que administramos e direcionamos para a estrutura de saúde no Sesc e no Senac preenchem uma parte importante do universo de pessoas que necessitam de serviços nessa área”, afirmou. “Estamos fazendo a nossa parte e da melhor forma possível. Tirar os investimentos que hoje Sesc e Senac aplicam em saúde será certamente um prejuízo incalculável para a sociedade”, complementou o parlamentar. 

Presente à reunião, Anna Beatriz de Almeida Waehneldt, diretora de Educação Profissional do Departamento Nacional do Senac, detalhou a atuação da entidade na área de Saúde. Anna Waehneldt enfatizou que um dos alicerces do trabalho da entidade está ligado à infraestrutura disponibilizada aos trabalhadores da área de Saúde e a toda a sociedade. Há três anos, informou, o Senac atualizou toda a sua estrutura, investindo R$ 150 milhões ao longo daquele ano em instalações e equipamentos. “Isso significa gerenciamento eficiente, célere, que traz resultados. Se prosperar a iniciativa do PL 559/2015, com o fim da arrecadação dos recursos, esse sistema deixa de existir, assim como o atendimento a 378 mil pessoas nesses últimos anos”, alertou Anna. 

Capilaridade do Sesc e do Senac leva serviços e atendimentos a todo o Brasil

Anna Beatriz Waehneldt também detalhou a ação do Sesc por meio de programas de educação, saúde, lazer, assistência e cultura. Hoje são 532 unidades fixas, 2.200 municípios atendidos e 6 milhões de pessoas beneficiadas, e cerca de 80% das atividades são subsidiadas. A área de Saúde no Sesc está muito vinculada à atenção básica e à promoção de programas, como Saúde da Mulher, que, por meio de unidades móveis, leva ao interior do Brasil, em regiões onde não há atendimento privado e, às vezes, nem da rede pública, a possibilidade de fazer exames complexos, como mamografia e Papanicolau (ambos para prevenção de câncer). Na parte de assistência, uma iniciativa de destaque é desenvolvida para a terceira idade, revelou Anna Beatriz: esse trabalho precursor do Sesc é voltado para os idosos e já totaliza 70 mil pessoas atendidas. “O modelo de gestão garante agilidade no planejamento. Ouvimos e atuamos em parceria com os prestadores de serviços e usuários em fóruns técnicos setoriais, nacional e regionais, com a definição do perfil dos cursos e elaboração de currículos. É uma ação que pode ser ampliada infinitamente, de acordo com as necessidades da sociedade”, observou a diretora. 

Para Anna Beatriz, a reunião da Comissão do Conselho Nacional de Saúde foi de enorme relevância para o Senac, para o Sesc e o Sistema Comércio. “O que ficou evidente é que ainda há um desconhecimento muito grande e, em alguns casos, falta de clareza em relação à abrangência da atuação da entidade, às nossas especificidades, à nossa proposta pedagógica e também sobre o trabalho de articulação que desenvolvemos com a rede SUS”, apontou. 

Resultados

Devido aos argumentos apresentados, a Comissão decidiu suspender a elaboração, pelo subgrupo formado no âmbito da CIRHRT, de parecer acerca do PL 559/2015, até que haja maior entendimento do assunto para, posteriormente, ser submetido à Mesa Diretora do Pleno do Conselho Nacional de Saúde (CNS). O assunto entrará novamente na pauta de discussão da Comissão na reunião ordinária de abril.

 

Comments

0

Os comentários serão moderados, portanto evite o uso de palavras chulas, termos ofensivos ou comunicação vulgar. Se tiver alguma dúvida sobre o tema abordado aqui, use a nossa Área de Atendimento. Talvez a resposta já esteja lá.

Post new comment

The content of this field is kept private and will not be shown publicly.