26 maio, 2017

CNC promove palestra pelo Dia Nacional de Combate ao Glaucoma

Miguel Ângelo Padilha falou sobre os principais problemas em saúde visual

Crédito: Marcos Nascimento

Miguel Ângelo Padilha falou sobre os principais problemas em saúde visual

Adicionar aos meus Itens 

A Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) promoveu, em 25 de maio, a palestra “Atualização sobre as causas mais comuns de cegueira no Brasil: catarata & glaucoma”, proferida pelo dr. Miguel Ângelo Padilha, médico, professor do curso de pós-graduação em Oftalmologia da Sociedade Brasileira de Oftalmologia (SBO) e membro da American Academy of Ophthalmology.

O glaucoma é uma doença que atinge cerca de 1 milhão de pessoas por ano no Brasil, segundo dados da Sociedade Brasileira de Glaucoma (SBG). Para chamar a atenção para a importância da prevenção na saúde visual, o dia 26 de maio ficou instituído como o Dia Nacional de Combate ao Glaucoma.

A abertura da palestra foi realizada pelo dr. Alexandre de Marca, chefe da Divisão de Saúde e Recursos Humanos da CNC, que ressaltou o trabalho do Sistema CNC-Sesc-Senac no âmbito da saúde visual, citando projetos como o Ver para Aprender e o Sesc Saúde Visão, uma unidade móvel itinerante que realiza atendimentos em saúde visual em algumas regiões do Brasil, além dos cursos técnicos em Óptica promovidos pelo Senac.

Em sua palestra, o dr. Miguel Padilha mostrou como funciona o aparelho ocular e falou sobre os principais problemas em saúde visual, como miopia, hipermetropia, glaucoma e catarata. Segundo o médico, o número de míopes cresceu 30% nos últimos 30 anos.

Ao falar sobre o glaucoma, o médico afirmou que, quanto mais cedo identificada a doença, melhor serão o controle e a qualidade da visão do paciente, já que os portadores da doença devem fazer um acompanhamento permanente da evolução do quadro clínico.

Segundo a SBO, os principais fatores de risco do glaucoma são: histórico familiar, pressão intraocular elevada, idade acima de 50 anos, diabetes, uso prolongado de corticoides, presença de lesões oculares. Pessoas de pele negra também são mais suscetíveis ao glaucoma. Por isso, a Sociedade Brasileira de Oftalmologia recomenda consultas anuais a todos que já têm 40 anos ou mais. Quem tem histórico familiar deve consultar um oftalmologista mais assiduamente.

O tratamento do glaucoma é feito com colírios e medicamentos potentes e, em casos que a pressão ocular é muito grande, recomenda-se o tratamento com laser. “Apenas quando todos os recursos clínicos não surtirem o efeito necessário, é que se recomenda a cirurgia”, afirmou o dr. Miguel Padilha, que disse ainda que 80% dos pacientes operados não precisam mais utilizar colírio.

Já a catarata, a principal causa de cegueira no Brasil, só tem cura mediante cirurgia. A doença é causada pela opacidade do cristalino, que provoca a visão embaçada, opaca, até causar cegueira, que, nesse caso, é reversível. Atualmente, são realizadas no Brasil cerca de 360 mil cirurgias de catarata por ano, quando deveriam ser pelo menos 546 mil, segundo a SBO.

Ao encerramento da palestra, o consultor da Presidência da CNC, Bernardo Cabral, destacou o trabalho do dr. Miguel Ângelo Padilha. “Quero parabenizar o dr. Miguel Ângelo Padilha, que realiza um trabalho fenomenal no campo da oftalmologia e cuida muito bem dos pacientes que tem, além de disseminar a importância da saúde visual no Brasil”, completou Cabral.

 

Comments

0

Os comentários serão moderados, portanto evite o uso de palavras chulas, termos ofensivos ou comunicação vulgar. Se tiver alguma dúvida sobre o tema abordado aqui, use a nossa Área de Atendimento. Talvez a resposta já esteja lá.

Post new comment

The content of this field is kept private and will not be shown publicly.