15 April, 2016

Consenso para garantir saúde de trabalhadores e empresas

Grupo de Trabalho em Saúde Ocupacional (GTSO) da CNC realiza sua 50ª reunião

Crédito: Rebecca Souza

Grupo de Trabalho em Saúde Ocupacional (GTSO) da CNC realiza sua 50ª reunião

Adicionar aos meus Itens 

O Grupo de Trabalho em Saúde Ocupacional (GTSO) da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) realizou, em 14 de abril, no Rio de Janeiro, sua 50ª reunião. Entre outros pontos, o encontro foi marcado por um levantamento das ações já realizadas e também por uma homenagem a Daphnis Ferreira Souto, médico do Trabalho e membro da Associação Brasileira de Medicina do Trabalho (ABMT). 

“Muita coisa boa acontece no Brasil e, depois, é esquecida”, afirmou Daphnis, para fazer uma retrospectiva histórica da evolução da segurança no trabalho no Brasil. O médico é considerado uma referência no setor pela contribuição abrangente a áreas conexas à saúde no trabalho. Em um de seus livros mais conhecidos, Saúde no trabalho: uma revolução em andamento, o especialista aborda a evolução do conhecimento médico e analisa situações médico-sanitárias vividas pelos trabalhadores brasileiros. 

Daphnis foi homenageado pelo GTSO com uma placa comemorativa pelo trabalho desenvolvido ao longo de sua trajetória profissional. O assessor especial da Divisão de Saúde da Confederação e médico do trabalho, Luís Sérgio Soares Mamari, fez a entrega da placa. “Não existe trabalho individual. Buscamos a construção coletiva do pensamento do comércio para as questões de saúde e segurança, para que isso chegue às federações de comércio”, explicou. 

Nesse sentido, o chefe da Divisão de Saúde da Confederação e coordenador do Grupo, Alexandre de Marca, destacou na reunião as iniciativas da entidade na área da saúde e segurança do trabalho, com ênfase na implantação dos Núcleos de Saúde Ocupacional (Nusoc) nas federações de comércio. O Nusoc terá estrutura própria para elaboração do Programa de Prevenção de Riscos Ambientais (PPRA) e do Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional (PCMSO), bem como para realizar exames médicos admissionais, demissionais, periódicos, por mudança de função e retorno ao trabalho. 

“É um programa de saúde ocupacional, com foco na prevenção de doenças e acidentes de trabalho e na promoção de bem-estar e qualidade de vida. Hoje temos em funcionamento um Núcleo em João Pessoa, na Paraíba, cuja demanda por atendimento duplicou desde que foi instalado, além de estarmos desenvolvendo o projeto também nos Estados de Pernambuco e Tocantins”, afirmou Alexandre de Marca. 

Tripartismo: solução equilibrada para trabalhadores e empregadores 

A chefe de Gabinete da Presidência da CNC, Lenoura Schmidt, fez a abertura do evento e saudou os participantes em nome do presidente da entidade, Antonio Oliveira Santos. “O trabalho realizado pelo GTSO nos dá muito orgulho, com ações bem conduzidas e eficientes nos resultados. Desde 1998, vem demostrando sua competência na defesa de temas afetos à segurança do trabalhador”, disse. Lenoura falou também da pertinência em se homenagear Dapnhis, pela sua contribuição à área de saúde e segurança do trabalho. “Somos prestigiados pela Presidência da Confederação no que tange à saúde e à segurança do trabalho. São temas transversais em todas as unidades entidades do Sistema CNC-Sesc-Senac”, disse Alexandre de Marca. “Ao divulgar e estudar boas práticas de segurança e saúde no ambiente de trabalho, o GTSO presta um serviço indispensável tanto para os segmentos produtivos do comércio quanto para a classe de trabalhadores brasileiros”, complementou o secretário-geral da CNC, Marcos Arzua. 

A palavra foi aberta para que os participantes pudessem abordar temas ligados a atividades do GTSO. Em comum, a percepção de que o funcionamento da lógica tripartite para a tomada de decisões no âmbito da saúde e segurança no trabalho deve ser defendido por todos os participantes – governo, empresários e trabalhadores. “A atuação sistemática da CNC é importante para que se amplie o debate nas entidades empresariais, bem como naquelas de trabalhadores”, pontuou Renan Feghali, vice-presidente do Conselho de Política Social e Trabalhista do Sistema Firjan. 

“A melhor ferramenta para se trabalhar é o tripartismo, porque o objetivo de todos é só um: a segurança e a saúde dos trabalhadores”, disse Washington Aparecido dos Santos, coordenador da bancada dos trabalhadores na Comissão Tripartite Paritária Permanente (CTPP), criada pela Portaria 11 de 17 de maio de 2002, do Ministério do Trabalho e Previdência Social. “Acreditamos no debate com a participação de todos os atores”, complementou. Para Magnus Ribas Apostólico, coordenador da bancada patronal na comissão, o incentivo à negociação é o caminho para a resolução de problemas ligados à saúde e à segurança dos trabalhadores. “Devemos buscar sempre o consenso para garantir a saúde dos trabalhadores e também das empresas”, apontou.

Clique aqui para acessar as fotos da  50ª reunião do Grupo de Trabalho em Saúde Ocupacional (GTSO) da CNC.

Comments

0

Os comentários serão moderados, portanto evite o uso de palavras chulas, termos ofensivos ou comunicação vulgar. Se tiver alguma dúvida sobre o tema abordado aqui, use a nossa Área de Atendimento. Talvez a resposta já esteja lá.

Post new comment

The content of this field is kept private and will not be shown publicly.