8 August, 2018

Regulamentação traria mais segurança para empresas e agências

Wilson Ferreira Junior e Elza Tsumori, moderadora do evento

Crédito: Christina Bocayuva

Wilson Ferreira Junior e Elza Tsumori, moderadora do evento

O papel dos eventos para o engajamento das pessoas e a promoção das marcas foi tema da palestra de Wilson Ferreira Junior, presidente da Associação de Marketing Promocional (Ampro) e sócio-diretor da agência Etna, durante o seminário Live Marketing – A Nova Inteligência para Marcas e Cidades. O seminário foi promovido pela CNC, por meio de seu Conselho Empresarial de Turismo e Hospitalidade (Cetur), no dia 8 de agosto, no Rio de Janeiro.

Wilson afirmou que as novas tecnologias não diminuíram o impacto dos encontros presenciais e os eventos vão ainda perdurar por muito tempo. Para ele, o live marketing se trata de surpreender e impactar o público positivamente, dentro dos vários modelos de eventos existentes.

O palestrante falou sobre a estratégia de ativação de marca em grandes eventos, um conceito cada vez mais presente em festivais, como Rock in Rio e Lolapallooza, mas também em congressos, feiras e seminários. “No entanto, é preciso fazer a ativação de forma coerente para fazer valer o seu patrocínio. Só o Rock in Rio teve um orçamento de R$ 180 milhões em ativação de marca, na edição de 2017”, afirmou.

Tendências para o futuro

O presidente da Ampro também trouxe dados do setor. Uma pesquisa da associação, feita em 2016, mostrou que 77% das empresas costumam promover eventos corporativos. “O live marketing como um todo movimenta R$ 50 bilhões por ano em todo o Brasil, sendo 60% desse valor focado em eventos”, disse Wilson.

O live marketing vem aumentando o espaço no orçamento de publicidade das empresas. Para 62% dos entrevistados, segundo o levantamento da Ampro, a tendência é investir mais em ações de live marketing nos próximos três anos.

Para o futuro, o investimento na junção entre ações de live marketing e as tecnologias digitais, como a realidade virtual e a realidade aumentada, é a grande tendência. “O live marketing promove experiências e faz com que as marcas consigam transmitir a sua personalidade, além de trazer a fidelização dos clientes. Isso tudo sendo amplificado pelo mundo digital é a grande sacada”, enfatizou Wilson Ferreira Junior.

Marcas e cidades

Segundo o palestrante, a ativação de marcas em eventos traz uma relevância para cidades que as transformam em destinos conhecidos, sendo que elas não teriam visibilidade de outra forma. É o caso da cidade de Parintins (AM), que passou a ser conhecida nacionalmente após ações de empresas que amplificaram a visibilidade do festival folclórico realizado anualmente na cidade. Outros exemplos são o Círio de Nazaré, que valoriza a cidade de Belém (PA), e a Flip, na cidade de Paraty (RJ). “As marcas perceberam o retorno que têm ao patrocinar esses eventos, porém as cidades ganham muito mais, com todo o rendimento que essas ações trazem em retorno financeiro e em turismo”, explicou.

Regulação do segmento

Wilson Ferreira Junior afirmou que é necessário realizar profundas melhorias na atividade comercial do live marketing em termos de arcabouço institucional. Ele citou a necessidade de regulamentação formal e a evolução na sustentabilidade das relações entre os participantes da cadeia de valor. “O mercado ainda não é maduro, regulamentado, não é como a publicidade, que tem suas regras em lei. E isso é muito importante de ser conquistado. As relações da cadeia de valor hoje são bastante precárias”, exemplificou.

Ele também destacou a importância de se estabelecer um modelo de edital de licitação para ações em parceria com órgãos governamentais que seja baseado em técnica e preço. “Algo tão estratégico como um evento, uma atividade de promoção de um órgão público não pode ser feito apenas levando em consideração a tomada de preço, que envolve players que não são muitas vezes habilitados para fazer isso. As competências técnicas também precisam ser levadas em consideração”, completou Wilson Ferreira Junior.

A regulamentação também ajudaria a evitar a bitributação dos serviços prestados por agências de promoção de ações e eventos, uma vez que ficaria clara a diferença entre a prestação de serviço das agências em si e de seus fornecedores.

O seminário está sendo transmitido ao vivo pelo link http://bit.ly/seminariolivemarketing ou na página da CNC no Facebook: http://fb.com/sistemacnc.

 

 

Comments

0

Os comentários serão moderados, portanto evite o uso de palavras chulas, termos ofensivos ou comunicação vulgar. Se tiver alguma dúvida sobre o tema abordado aqui, use a nossa Área de Atendimento. Talvez a resposta já esteja lá.

Post new comment

The content of this field is kept private and will not be shown publicly.