15 March, 2018

Tecnologia, inovação e novas experiências mudam as relações na gastronomia

Graco Terceiro Neto, presidente do Sindicato de Empresas de Hospedagem e Aliment

Crédito: Carla Zigon

Graco Terceiro Neto, presidente do Sindicato de Empresas de Hospedagem e Alimentação de João Pessoa.

Adicionar aos meus Itens 

Entender o momento atual e buscar a atualização profissional é essencial para a evolução da gastronomia. A opinião é de Antônio Henrique Borges de Paula, assessor de Relações Institucionais do Departamento Nacional do Senac, que abriu oficialmente a II Semana Senac de Gastronomia Saberes e Sabores, em 14 de março. O evento está sendo realizado durante o Sirha São Paulo 2018. 

“Temos que compreender o momento em que vivemos, e isso se torna fundamental na agenda de cada um. Precisamos estar abertos a novos temas, e nada melhor para auxiliar nisso do que a programação desse seminário, que envolve questões como a economia globalizada, a inovação e o mundo em transformação”, disse Antônio Henrique. 

A inovação tecnológica foi o tema da primeira palestra do evento. Graco Terceiro Neto, presidente do Sindicato das Empresas de Hospedagem e Alimentação de João Pessoa, falou sobre alguns aspectos tecnológicos já presentes no mundo e que devem modificar as relações comerciais nos restaurantes e estabelecimentos de food service. Segundo ele, US$ 11 trilhões foram investidos em tecnologia no mundo em 2017. 

“Não precisamos mais esperar a novidade tecnológica vir de fora do País. Elas já estão disponíveis, e cabe a nós a responsabilidade sobre como adaptá-las à realidade das nossas organizações”, afirmou Graco, que completou dizendo que é preciso investir na experiência do cliente. 

Ele mostrou alguns tipos de inovação já disponíveis, como totens interativos para pedidos de refeição, mesas com projeção e touch screen, delivery realizado por drones, aplicativos e food print (impressão de comida em 3D), além de robôs autômatos que efetuam preparos na cozinha. “Não trouxe essa discussão para imaginar que as máquinas vão tomar os nossos trabalhos. Mas a reflexão que fica é sobre como se reinventar para conviver com elas no futuro. Como utilizá-las a nosso favor”, complementou Graco. 

A inovação também foi tema da palestra do chef Alessandro Nicola, mestre titulado pela Federazione Italiana Cuochi. O chef ressaltou como as transformações tecnológicas, desde a descoberta do fogo até os mais modernos equipamentos de cozinha, geraram os melhores resultados no segmento de food service. 

Gastronomia: Experiência afetiva 

Michele Novembre, chef e coordenadora do curso de Gastronomia do Hotel-Escola Senac Águas de São Pedro, em São Paulo, realizou a palestra Gastronomia: Experiência Afetiva, em que propôs a reflexão entre os participantes sobre os atos de comer e cozinhar que, segundo ela, envolvem mais do que a simples ingestão dos alimentos. “Comer não significa só se alimentar e ficar nutrido. Existe um contexto envolvido, no qual vamos desenvolvendo algumas características sensoriais de toda a experiência”, disse Michele. 

A chef do Senac também falou sobre as sensações e emoções envolvidas no ato de comer e cozinhar com outras pessoas, que ela chamou de comensalidade, intrinsicamente ligado à atividade da gastronomia. “Comer junto é um ritual simbólico que envolve a partilha e a troca. É um momento de união que fortalece as relações”, afirmou. A palestra terminou com um convite à reflexão sobre a origem dos alimentos e o fortalecimento da relação entre o homem e os alimentos dados pela natureza. 

Comments

0

Os comentários serão moderados, portanto evite o uso de palavras chulas, termos ofensivos ou comunicação vulgar. Se tiver alguma dúvida sobre o tema abordado aqui, use a nossa Área de Atendimento. Talvez a resposta já esteja lá.

Post new comment

The content of this field is kept private and will not be shown publicly.