SEGS – Sistema de Excelência em Gestão Sindical

Adicionar aos meus Itens 

Para alinhar as práticas de gestão sindical entre todos os integrantes do Sistema Confederativo da Representação Sindical do Comércio (Sicomercio), a Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) criou o Sistema de Excelência em Gestão Sindical (Segs) em 2008. Desde então o programa, oferecido às entidades sindicais do comércio de bens, serviços e turismo, passou por diversas melhorias ao longo dos anos. O modelo atual se baseia no modelo de maturidade do CMMI para avaliar os processos finalísticos das entidades em cada um dos 6 eixos de atuação sindical.

Com o alinhamento de estratégias e processos entre as entidades do Sicomercio, o empresariado do comércio de bens, serviços e turismo passa a fazer parte de um sistema sindical mais forte e representativo.

 

 

Sistema de Avaliação Sindical (SAS)
Sistema digital para avaliação da maturidade das entidades sindicais nos 6 eixos de atuação. (Disponível em breve)

Mensagem do Presidente da CNC - Por um sindicalismo inovador e atuante

A nova versão do Segs visa fazer frente aos novos desafios impostos às entidades sindicais do comércio de bens, serviços e turismo. Esta versão se propõe a incorporar uma abordagem efetiva para a gestão das entidades sindicais, considerando o equilíbrio entre as atividades fundamentais para afirmar a representatividade e as atividades que sustentam e asseguram a sua continuidade operacional.

 

Ademais, sem perder o rigor metodológico que sempre foi característico do programa, buscou-se também nessa nova versão primar ainda mais pela mitigação da dificuldade no entendimento e uso do modelo, além da sua adequação aos mais diversos portes de entidade, o que permitirá um aperfeiçoamento periódico e estruturado da gestão e atuação de cada uma delas.

 

Finalmente, com intuito de contribuir ainda mais para o entendimento e utilização do modelo, foi criada uma nova identidade visual que, ao sinalizar o caminho para o futuro e também reforçar o conceito dos seis eixos de atuação sindical, busca fomentar o engajamento e a participação de toda a equipe da entidade, pois ao verem-se representados no modelo fica clara a noção de que cada um pode fazer a sua parte, contribuindo para os resultados da entidade.

 

Mais do que nunca, o Sistema de Excelência em Gestão Sindical estará presente no dia a dia das entidades, permeando toda a sua estrutura e atividades, o que refletirá em uma maior aproximação com as empresas representadas, trazendo uma verdadeira era de inovação e excelência na atuação dos sindicatos do comércio de bens, serviços e turismo.

 

Participem do programa e usufruam ao máximo de tudo o que ele oferece!

 

Antonio Oliveira Santos

Presidente do Sistema CNC-Sesc-Senac

O que é

O Segs é um programa pelo qual a CNC envolve as Federações e os Sindicatos filiados ao Sicomércio, incentivando o desenvolvimento da excelência na gestão e atuação dessas entidades e, consequentemente, a busca pela evolução dos seus resultados, principalmente aqueles relativos à prestação de serviços e à defesa dos interesses das empresas representadas.

 

O Segs retrata a realidade sindical em um diagnóstico do grau de maturidade da entidade nos eixos de atuação sindical, avaliando os processos críticos relativos a cada eixo por meio de questões e opções de resposta que identificam o nível de maturidade da entidade, gerando um diagnóstico completo da sua gestão.

 

Os principais objetivos do programa são:

• Proporcionar às entidades sindicais a obtenção da maior representatividade por meio do aperfeiçoamento contínuo de sua gestão e atuação sindical;

• Permitir às entidades sindicais a identificação do seu grau de maturidade e das suas necessidades de melhoria, por meio de um modelo de avaliação customizado ao ambiente sindical;

• Prover aos dirigentes sindicais um instrumento de diagnóstico e apoio à sua atuação como gestor da entidade e como líder empresarial;

• Proporcionar às entidades sindicais a obtenção da evolução gerencial efetiva por meio da busca de melhores resultados;

• Desenvolver as competências necessárias para que a força de trabalho das entidades implemente práticas de gestão que possibilitem incrementar seus resultados;

• Promover integração e colaboração das entidades, a fim de potencializar o desenvolvimento do Sistema CNC-Sesc-Senac;

• Facilitar a implantação de práticas gerenciais necessárias ao incremento dos resultados das entidades por meio de consultorias especializadas;

• Possibilitar o compartilhamento de práticas gerenciais de sucesso e de resultados conquistados (benchmarking);

• Fomentar a criação de alternativas de prestação de serviços pelas entidades, a fim de contribuir com a sua autossustentação.

 

Para o alcance desses objetivos, a CNC disponibiliza, por meio do Segs:

• Sistema de Avaliação Sindical (SAS);

• Sistema de Gestão por Objetivos (SGO);

• Capacitações e consultorias;

• Modelos e ferramentas gerenciais;

• Fomento à troca de experiências;

• Trabalhos colaborativos.

 

Dessa forma, o Segs fomenta que as entidades realizem, sistematicamente, ações de Planejamento (P), que é a construção do plano de ação; Desenvolvimento (D), que é a implementação das ações; Checagem (C), que são as avaliações; e Ação (A), que são os aprendizados obtidos em cada ciclo, girando, assim, o PDCA¹ de sua gestão em cada eixo de atuação sindical.

 Sistemas

 

¹Ciclo PDCA: do inglês PLAN-DO-CHECK-ACT, é um método iterativo de gestão de quatro passos, utilizado para o controle e melhoria contínua de processos e produtos. É também conhecido como o círculo/ciclo/roda de Deming, ciclo de Shewhart, ciclo de controle.

Modelo de maturidade

O modelo de avaliação do Segs é baseado no CMMI (Capability Maturity Model Integration ou Modelo Integrado de Maturidade em Capacitação), um modelo de referência criado e mantido pelo Software Engineering Institute (SEI), um centro de pesquisa e desenvolvimento patrocinado pelo Departamento de Defesa dos EUA, sendo uma evolução do CMM.

 

O CMMI é uma abordagem comprovada de gerenciamento da maturidade que procura estabelecer um modelo único para o processo de melhoria corporativo, integrando diferentes modelos e disciplinas e fornecendo uma diretriz para a seleção de estratégias de melhoria de processos, permitindo a identificação das questões mais críticas sobre os processos. Desta forma, provê e descreve um caminho de melhoria a partir de um processo inicial até um processo maduro e disciplinado. Este caminho de melhoria é definido por 5 níveis de maturidade, detalhados abaixo:

 

Inexistente – completa falta de um processo reconhecido. A entidade não executa o processo.

 

Inicial – existem evidências que a entidade executa o processo. No entanto, não existe processo padronizado; ao contrário, os processos tendem a ser aplicados individualmente ou caso-a-caso. O enfoque geral é desorganizado.

 

Repetível – os processos são executados de forma similar por diferentes pessoas fazendo a mesma tarefa. Não existe um treinamento formal ou uma comunicação dos procedimentos padronizados e a responsabilidade é deixada com o empregado. Há um alto grau de confiança no conhecimento da força de trabalho e consequentemente erros podem ocorrer.

 

Definido – procedimentos foram padronizados, documentados e comunicados através de treinamento. É mandatório que esses processos sejam seguidos, constituindo a formalização das práticas existentes.

 

Monitorado – os processos são monitorados e a aderência aos procedimentos é verificada. Os processos estão debaixo de um constante aprimoramento e fornecem boas práticas.

 

Otimizado – os processos foram refinados a um nível de boas práticas, baseado no resultado de um contínuo aprimoramento e modelagem da maturidade, demonstrando inovação incorporada nas práticas de gestão relativas ao processo.

 

Desta forma, resumidamente, temos:

 

Ciclo de Avaliação 2018

As principais etapas previstas para o ciclo de 2018 e os prazos de realização estão descritos na tabela abaixo:

 

Treinamento de Avaliadores EAD - 30/04 a 15/06

Ciclo de avaliações Segs (SAS) - 30/04 a 06/07

Planejamento e execução de ações – a partir de 06/07


 

• Treinamento de Avaliadores por meio de ensino à distância (EAD): capacitação específica para qualificar os avaliadores das entidades a realizar as etapas de avaliação do modelo Segs.

 

• Ciclo de Avaliações Segs (SAS): as entidades realizam sua avaliação em 4 diferentes etapas (Autoavalioação; avaliação; verificação e consenso) por intermédio dos avaliadores treinados na etapa anterior e com base no Guia da Excelência, de forma a diagnosticar a gestão da entidade e posteriormente planejar ações de melhoria. As avaliações são realizadas por meio do Sistema de Avaliação Sindical (SAS) .

 

• Planejamento e execução de ações: após a avaliação de maturidade, as entidades realizam um planejamento de ações para se desenvolver, acompanhando seus indicadores de resultados e analisando informações tanto da avaliação Segs, como dos resultados em geral, para elaborarem ações de melhoria à entidade. O planejamento e monitoramento dessas ações podem ser realizados com o apoio do Sistema de Gestão por Objetivos (SGO) que tem uma estrutura definida e preparada para análise de indicadores, planejamento e acompanhamento dos planos de ação das entidades.

Código de Conduta

A responsabilidade sobre a aplicação do Sistema de Excelência em Gestão Sindical (Segs) envolve um amplo universo de pessoas, cujas interações devem ser pautadas em valores éticos. Para isso, este Código de Conduta tem por objetivo promover o comprometimento de todos os colaboradores que atuam no Segs com os princípios que norteiam a conduta durante as etapas do programa, principalmente no ciclo de avaliação.

 

A todos os colaboradores do Segs

  • Executar as funções da melhor maneira possível, empreendendo esforços para atingir os objetivos traçados pelo Segs;
  • Não aceitar ou receber, direta ou indiretamente, gratuidades ou vantagens pessoais de qualquer natureza que representem valor, provenientes de pessoas físicas ou jurídicas que se relacionem com a CNC;
  • Não se comunicar, apresentar-se ou executar qualquer atividade em nome da CNC e do Segs, ou passar a impressão de agir dessa forma, sem estar devidamente autorizado para tal. Quando autorizado, apresentar-se apenas na função específica para a qual tenha sido designado;
  • Não agir de forma antiprofissional, sem zelo ou de modo a afetar a credibilidade do Segs junto ao público e a interlocutores;
  • Não deixar de zelar pela correta aplicação deste Código e consultar ou informar à Gerência de Programas Externos da CNC possíveis ocorrências; e
  • Tratar com a devida confidencialidade informações estratégicas sobre as entidades participantes.

 

Aos Assessores Técnicos

  • Tratar com cordialidade todos os envolvidos no Segs, salientando a importância de sua participação no programa;
  • Não aceitar honorários, comissão ou atenções pessoais que representem valor de entidades participantes que possam, de alguma maneira, gerar suspeitas quanto à integridade do programa;
  • Não oferecer serviços de consultoria ou qualquer tipo de assessoramento a entidades, excetuando-se aqueles orientados pela CNC; e
  • Salvaguardar as informações recebidas durante o processo de avaliação relativas às entidades, evitando discuti-las com pessoas de seu relacionamento e colegas de profissão, exceto quando essa troca de informações fizer parte do trabalho.

 

 

Aos Avaliadores

  • Não aceitar honorários, comissão ou atenções pessoais que representem valor de entidades participantes que possam, de alguma maneira, gerar suspeitas quanto à integridade do Segs;

Não oferecer serviços de consultoria ou qualquer tipo de assessoramento a entidades que tenha avaliado;

  • Não utilizar ou reproduzir, total ou parcialmente, em benefício próprio, para fins comerciais ou de recebimento de vantagens diretas ou indiretas, sem prévia autorização, quaisquer materiais ou publicações de propriedade da CNC;
  • Não usar a logomarca do Segs ou da CNC como identificação de sua condição de avaliador;
  • Não usar informações privilegiadas decorrentes do processo de avaliação como forma de obter vantagens pessoais ou de oferecer serviços profissionais;
  • Não levar, reproduzir ou divulgar informações e documentos durante o processo de avaliação de consenso que sejam de propriedade das entidades participantes;
  • Salvaguardar as informações recebidas durante o processo de avaliação relativas às entidades participantes, evitando discuti-las com pessoas de seu relacionamento, outros avaliadores e colegas de profissão, exceto quando essa troca de informações fizer parte do processo de avaliação; e
  • Não aceitar designação para participar da avaliação de uma entidade participante se houver ou puder parecer que há qualquer conflito de interesses, tendo em vista fatores que possam ser ou parecer impeditivos de uma avaliação independente e imparcial.

 

Glossário

  • Conflito de interesses: quando uma das partes envolvidas tem ou possa ter interesse em favorecer ou prejudicar a outra parte.
  • Partes interessadas: qualquer pessoa ou organização que tenha interesse ou relação (diretos ou indiretos) com a entidade ou que possam ser influenciadas por sua atuação. Exemplo: colaboradores, prestadores de serviço, clientes, fornecedores, parceiros, comunidades, ONGs, associações, governo, sociedade, imprensa, etc.

Os 6 eixos de atuação sindical

No IX Congresso do Sistema Confederativo de Representação Sindical do Comércio (Sicomércio), em 2015, foi lançado o conceito dos 6 eixos de atuação sindical que representam as competências funcionais das entidades, conforme segue:

 

  • Atuação Legislativa: Acompanhar, planejar e coordenar as ações legislativas na afirmação, no fortalecimento e na defesa dos legítimos interesses das empresas representadas.
  • Relações Sindicais: Assegurar a gestão da base de representação, promover a capacitação de líderes sindicais, fomentar o relacionamento com as empresas representadas, cumprir as normas do Sicomércio e as obrigações legais e assegurar a realização da negociação coletiva, o processo eleitoral e a gestão das receitas sindicais.
  • Representação: Assegurar a atuação nas instâncias de representação, o desenvolvimento dos representantes, o alinhamento do posicionamento e o controle dos registros da atuação.
  •  
  • Produtos e Serviços: Assegurar a estruturação e disponibilização de produtos, serviços e benefícios alinhados às necessidades dos representados, bem como o relacionamento comercial.
  • Atuação Gerencial: Assegurar a gestão do planejamento, das finanças, da tecnologia, da informação, dos processos, dos projetos, de suprimentos, das pessoas, das partes interessadas, da sustentabilidade e dos resultados.
  • Comunicação Institucional: Assegurar a gestão das ações relacionadas à marca, reputação e imagem da entidade, que envolve desde a elaboração de conteúdos informativos e publicitários para a divulgação de ações de defesa de interesses, produtos, serviços e benefícios; a seleção e utilização de veículos de comunicação para veiculação dos conteúdos; a produção de conteúdo noticioso para atualização dos canais institucionais e o relacionamento com a imprensa.