SEGS – Sistema de Excelência em Gestão Sindical

Adicionar aos meus Itens 

Para alinhar as práticas de gestão sindical entre todos os integrantes do Sistema Confederativo da Representação Sindical do Comércio (Sicomercio), a Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) criou o Sistema de Excelência em Gestão Sindical (SEGS).

Além de contribuir para a maturidade de federações e sindicatos sobre aspectos como associativismo e serviços oferecidos aos empresários do comércio, o programa capacita líderes e executivos sindicais para melhor atuarem em prol dos interesses das empresas que representam.
Para desenvolver a excelência na administração, as entidades filiadas ao Sicomercio devem atender aos critérios de avaliação do programa, elaborados com base nos quesitos estabelecidos pelo Prêmio Nacional de Qualidade (PNQ).

Com o alinhamento de estratégias e processos entre as entidades do Sicomercio, o empresariado do comércio de bens, serviços e turismo passa a fazer parte de um sistema sindical mais forte e representativo.

 

Sistema de Gestão de Desempenho (SGD)
Sistema digital para avaliação da gestão das entidades e gerenciamento dos indicadores de desempenho. Acesse aqui.

 

Veja os materiais para download

Mensagem do Presidente da CNC - Compromisso com a Melhoria do Sistema Sindical

O contexto social, ambiental e econômico mundial muda continuamente, de forma imprevista e incontrolável. Para se manterem ativas e atuantes no cumprimento de suas missões, as entidades sindicais precisam interagir e se adaptar ao complexo cenário de transformações globais, regionais e locais.

O Sistema de Excelência em Gestão Sindical (Segs) auxilia, desde 2008, as entidades sindicais patronais do comércio de bens, serviços e turismo a fazerem face a esse desafio, por meio de avaliações periódicas de sua gestão, complementadas pela disponibilização de ferramentas, capacitações e consultorias que permitem tratar as oportunidades de melhoria identificadas.

Desde 2012 a CNC é uma das mantenedoras da Fundação Nacional da Qualidade (FNQ) e ocupa assentos de representação na Rede de Qualidade, Produtividade e Competitividade (Rede QPC), incluindo o setor do comércio de bens, serviços e turismo no protagonismo das discussões sobre gestão no Brasil, em prol do desenvolvimento das organizações brasileiras de todos os portes e setores, públicas e privadas, mediante a disseminação dos Fundamentos e Critérios de Excelência em Gestão.

Com a intenção de tornar o Segs ainda mais próximo e adequado à realidade sindical, considerando-se também as diferenças de porte entre as entidades, o programa foi revisado de forma a atender às necessidades específicas do sindicalismo em todos os níveis, permitindo um foco maior no alcance de melhores resultados.

Portanto, apresentamos nesta edição uma nova versão do Segs.

Participem do programa e usufruam ao máximo de tudo o que ele oferece!

 

Antonio Oliveira Santos

Presidente do Sistema CNC-Sesc-Senac

 

O que é

O Sistema de Excelência em Gestão Sindical (Segs) é um programa pelo qual a CNC envolve as Federações e os Sindicatos filiados ao Sicomércio, incentivando o desenvolvimento da excelência na gestão dessas entidades e, consequentemente, na busca pela evolução dos seus resultados, principalmente aqueles relativos à prestação de serviços e à defesa dos interesses das empresas representadas.

Os principais objetivos do programa são:

  • Prover aos dirigentes sindicais um instrumento de apoio à sua atuação como gestor de entidade e como líder empresarial;
  • Proporcionar às entidades sindicais a obtenção da evolução gerencial efetiva por meio da busca por melhores resultados;
  • Permitir às entidades sindicais a identificação de seu grau de desenvolvimento (maturidade) em gestão e de necessidades de melhoria, por meio de modelos de avaliação customizados ao ambiente sindical;
  • Desenvolver as competências necessárias para que as pessoas implementem práticas gerenciais que possibilitem incrementar os resultados das entidades;
  • Facilitar a implantação de práticas gerenciais necessárias ao incremento dos resultados das entidades por meio de consultorias especializadas;
  • Possibilitar o compartilhamento de práticas gerenciais de sucesso e de resultados conquistados (benchmarking);
  • Promover a integração e a colaboração das entidades, a fim de potencializar o desenvolvimento do Sistema CNC-Sesc-Senac; e
  • Criar alternativas de prestação de serviços pelas entidades, a fim de contribuir com a sua autossustentação.

 

Para o alcance desses objetivos, a CNC disponibiliza, por meio do Segs:

  • Sistema de Avaliação
  • Capacitações e consultorias
  • Modelos e ferramentas gerenciais
  • Fomento à troca de experiências
  • Trabalhos colaborativos
  • Parcerias e convênios

 

Dessa forma, o Segs permite que as entidades realizem, sistematicamente, ações de Planejamento (P), que é a construção do plano de ação; Desenvolvimento (D), que é a implementação das ações; Checagem (C), que são as avaliações; e Ação (A), que são os aprendizados obtidos em cada ciclo, girando, assim, o PDCA de sua gestão.

 

O Segs possui três modelos de avaliação, proporcionando às entidades instrumentos de avaliação de acordo com a maturidade da gestão local.

 

Fundamentos da Excelência

O Segs está alicerçado nos Fundamentos da Excelência, os quais expressam conceitos reconhecidos internacionalmente e que se traduzem em práticas ou fatores de desempenho encontrados em organizações líderes em âmbito mundial que buscam constantemente se aperfeiçoar e se adaptar às mudanças globais. Os fundamentos, adaptados para o ambiente sindical, são:

 

1 Pensamento Sistêmico

Compreensão e tratamento das relações de interdependência e seus efeitos entre os diversos componentes que formam a organização (CNC, federações e sindicatos), bem como entre eles e o ambiente com o qual interagem.

 

2 Atuação em rede

Desenvolvimento de relações e atividades em cooperação entre organizações (CNC, federações e sindicatos) ou entre indivíduos com interesses comuns e competências complementares.

 

3 Aprendizado organizacional

Busca de maior eficácia e eficiência dos processos da organização (CNC, federações e sindicatos) e alcance de um novo patamar de competência, por meio da percepção, da reflexão, da avaliação e do compartilhamento de conhecimentos e experiências.

 

4 Inovação

Promoção de um ambiente favorável à criatividade, à experimentação e à implementação de novas ideias capazes de gerar ganhos de competitividade com desenvolvimento sustentável.

 

5 Agilidade

Flexibilidade e rapidez de adaptação a novas demandas das partes interessadas e mudanças do ambiente, considerando-se a velocidade de assimilação e o tempo de ciclo dos processos.

 

6 Liderança transformadora

Atuação dos líderes de forma inspiradora, exemplar, realizadora e com constância de propósito, estimulando as pessoas em torno dos valores, princípios e objetivos da organização (CNC, federações e sindicatos), explorando as potencialidades das culturas presentes, preparando líderes e interagindo com as partes interessadas.

 

7 Olhar para o futuro

Projeção e compreensão de cenários e tendências prováveis do ambiente e dos possíveis efeitos sobre a organização (CNC, federações e sindicatos), no curto e no longo prazo, avaliando alternativas e adotando estratégias mais apropriadas.

 

8 Conhecimento sobre clientes e mercados

Interação com clientes e mercados (especialmente os representados) e entendimento de suas necessidades, expectativas e comportamentos, explícitos e potenciais, criando valor de forma sustentável..

 

9 Responsabilidade social

Dever da organização (CNC, federações e sindicatos) de responder pelos impactos de suas decisões e atividades, na sociedade e no meio ambiente, e de contribuir para a melhoria das condições de vida, por meio de um comportamento ético e transparente, visando ao desenvolvimento sustentável.

 

10 Valorização das pessoas e da cultura

Criação de condições favoráveis e seguras para as pessoas se desenvolverem integralmente, com ênfase na maximização do desempenho, na diversidade e no fortalecimento de crenças, costumes e comportamentos favoráveis à excelência.

 

11 Decisões fundamentadas

Deliberações sobre direções a seguir e ações a executar, utilizando o conhecimento gerado a partir do tratamento de informações obtidas em medições, avaliações e análises de desempenho, de riscos, de retroalimentações e de experiências.

 

12 Orientação por processos

Busca de eficiência e eficácia nos conjuntos de atividades que formam a cadeia de agregação de valor para os clientes e demais partes interessadas.

 

13 Geração de valor

Alcance de resultados econômicos, sociais e ambientais, bem como de resultados dos processos que os potencializam em níveis de excelência e que atendam às necessidades das partes interessadas.

Ciclo de Avaliação 2017

As principais etapas previstas para o ciclo de 2017 e os prazos de realização estão descritos na tabela abaixo:

 

cronograma-segs-2017

 

  • Treinamento de Avaliadores por meio de ensino à distância (EAD): capacitação específica para qualificar os avaliadores das entidades a realizar a autoavaliação e a avaliação de consenso utilizando os respectivos modelos de avaliação.
  • Autoavaliação: as entidades realizam sua própria avaliação, por intermédio dos avaliadores treinados, com base no Guia da Excelência, de forma a diagnosticar a gestão da entidade e planejar ações de melhoria.
  • Avaliação de Consenso: as federações e os sindicatos realizam, a seu critério, avaliações cruzadas, ou seja, com a presença de um avaliador cedido por outra entidade, agregando visão externa e permitindo o aprendizado conjunto. A definição das entidades visitantes e a programação da agenda de visitas são atribuições do multiplicador, em concordância com os sindicatos.
  • Entrega dos Certificados: momento de reconhecimento das entidades que participaram das etapas previstas no ciclo.

Código de Conduta

A responsabilidade sobre a aplicação do Sistema de Excelência em Gestão Sindical (Segs) envolve um amplo universo de pessoas, cujas interações devem ser pautadas em valores éticos. Para isso, este Código de Conduta tem por objetivo promover o comprometimento de todos os colaboradores que atuam no Segs com os princípios que norteiam a conduta durante as etapas do programa, principalmente no ciclo de avaliação.

 

A todos os colaboradores do Segs

  • Executar as funções da melhor maneira possível, empreendendo esforços para atingir os objetivos traçados pelo Segs;
  • Não aceitar ou receber, direta ou indiretamente, gratuidades ou vantagens pessoais de qualquer natureza que representem valor, provenientes de pessoas físicas ou jurídicas que se relacionem com a CNC;
  • Não se comunicar, apresentar-se ou executar qualquer atividade em nome da CNC e do Segs, ou passar a impressão de agir dessa forma, sem estar devidamente autorizado para tal. Quando autorizado, apresentar-se apenas na função específica para a qual tenha sido designado;
  • Não agir de forma antiprofissional, sem zelo ou de modo a afetar a credibilidade do Segs junto ao público e a interlocutores;
  • Não deixar de zelar pela correta aplicação deste Código e consultar ou informar à Gerência de Programas Externos da CNC possíveis ocorrências; e
  • Tratar com a devida confidencialidade informações estratégicas sobre as entidades participantes.

 

Aos Assessores Técnicos

  • Tratar com cordialidade todos os envolvidos no Segs, salientando a importância de sua participação no programa;
  • Não aceitar honorários, comissão ou atenções pessoais que representem valor de entidades participantes que possam, de alguma maneira, gerar suspeitas quanto à integridade do programa;
  • Não oferecer serviços de consultoria ou qualquer tipo de assessoramento a entidades, excetuando-se aqueles orientados pela CNC; e
  • Salvaguardar as informações recebidas durante o processo de avaliação relativas às entidades, evitando discuti-las com pessoas de seu relacionamento e colegas de profissão, exceto quando essa troca de informações fizer parte do trabalho.

 

 

Aos Avaliadores

  • Não aceitar honorários, comissão ou atenções pessoais que representem valor de entidades participantes que possam, de alguma maneira, gerar suspeitas quanto à integridade do Segs;

Não oferecer serviços de consultoria ou qualquer tipo de assessoramento a entidades que tenha avaliado;

  • Não utilizar ou reproduzir, total ou parcialmente, em benefício próprio, para fins comerciais ou de recebimento de vantagens diretas ou indiretas, sem prévia autorização, quaisquer materiais ou publicações de propriedade da CNC;
  • Não usar a logomarca do Segs ou da CNC como identificação de sua condição de avaliador;
  • Não usar informações privilegiadas decorrentes do processo de avaliação como forma de obter vantagens pessoais ou de oferecer serviços profissionais;
  • Não levar, reproduzir ou divulgar informações e documentos durante o processo de avaliação de consenso que sejam de propriedade das entidades participantes;
  • Salvaguardar as informações recebidas durante o processo de avaliação relativas às entidades participantes, evitando discuti-las com pessoas de seu relacionamento, outros avaliadores e colegas de profissão, exceto quando essa troca de informações fizer parte do processo de avaliação; e
  • Não aceitar designação para participar da avaliação de uma entidade participante se houver ou puder parecer que há qualquer conflito de interesses, tendo em vista fatores que possam ser ou parecer impeditivos de uma avaliação independente e imparcial.

 

Glossário

  • Conflito de interesses: quando uma das partes envolvidas tem ou possa ter interesse em favorecer ou prejudicar a outra parte.
  • Partes interessadas: qualquer pessoa ou organização que tenha interesse ou relação (diretos ou indiretos) com a entidade ou que possam ser influenciadas por sua atuação. Exemplo: colaboradores, prestadores de serviço, clientes, fornecedores, parceiros, comunidades, ONGs, associações, governo, sociedade, imprensa, etc.

Adesão SEGS