Comércio Exterior

A economia do Brasil, classificada em 2017 como a oitava maior economia do mundo, com um Produto Interno Bruto (PIB) de 6,559 trilhões de reais, ou 2,080 trilhões de dólares estadunidenses, de acordo com estimativas do Fundo Monetário Internacional (FMI), é também a segunda maior do continente americano, atrás apenas da economia dos Estados Unidos. O Brasil é uma das chamadas potências emergentes: é o "B" do grupo BRICS. É membro de diversas organizações econômicas, como o Mercado Comum do Sul (Mercosul), a União de Nações Sul-Americanas (UNASUL), o G8+5, o G20 e o Grupo de Cairns. Tem centenas de parceiros comerciais, e cerca de 60% das exportações do país referem-se a produtos manufaturados e semimanufaturados. Os principais parceiros comerciais do Brasil são: Mercosul e América Latina (25,9% do comércio), União Europeia (23,4%), Ásia (18,9%), Estados Unidos (14,0%) e outros (17,8%).

Neste sentido, a CNC participa de diversos foros de debates, consultas e de fomento à economia nacional. Dentre eles: Coalizão Empresarial Brasileira (CEB), Conselho Empresarial Brasil - Argentina (CEMBRAR), Conselho de Câmaras de Comércio do Mercosul, Foro Consultivo Econômico-Social do Mercosul, além de atuar diretamente em órgãos e Ministérios relacionados aos temas, como Ministério das Relações Exteriores (MRE), Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC), Câmara de Comércio Exterior (CAMEX), etc.

A CNC atua nas mais diversas ramificações, como no fluxo de comércio entre países, na política financeira, no que diz respeito a tributação, reforma da previdência, direito do consumidor e também a política comercial.